Não, as vacinas não te ligam à Internet!

OS RUMORES DE QUE ALGUMAS VACINAS DA COVID-19 NOS LIGAM À INTERNET LEVARAM O GOVERNO AUSTRALIANO A EMITIR UMA NOTA A GARANTIR O CONTRÁRIO. PARECE MENTIRA, MAS É VERDADE.

ANTÓNIO MENDES


É um paradoxo dos nossos dias. Nunca foi tão fácil aceder a tanta informação, mas ao mesmo tempo nunca houve tantas pessoas mal informadas.

Vem isto a propósito de uma nota que o governo australiano teve de emitir há dias, no site do seu ministério da saúde, para esclarecer os australianos de que as vacinas contra a Covid-19 não nos ligam, nem podem ligar, à Internet.


O governo australiano teve necessidade de fazer este esclarecimento no seguimento de uma teoria da conspiração, segundo a qual algumas vacinas para a Covid-19 contêm material que conectam quem as toma à Internet.

A resposta parece e é óbvia. Não, as vacinas para a Covid-19 não nos ligam à Internet.


É importante estarmos conscientes do enorme impacto positivo que a vacinação tem tido na saúde mundial. Apenas o acesso a água potável tem um maior impacto nas nossas vidas.

Graças às vacinas, quase nos esquecemos de muitas doenças. Pólio, tétano, rubéola, sarampo, difteria, tosse convulsa são algumas das doenças com que os nossos avós tiveram de conviver e que roubaram anos de vida a muito boa gente – sobretudo, as vacinas contribuíram para uma enorme redução da taxa de mortalidade infantil.


Uma das coisas que tem contribuído para as dúvidas de muitas pessoas sobre a vacina da Covid-19, e para algumas teorias da conspiração, é rapidez com que foi desenvolvida e está a ser implementada.



Deves saber que os investigadores não começaram do zero quando descobriram o SARS-CoV-2, o vírus que causa a COVID-19.

SARS-CoV-2 é um membro da família dos coronavírus. Existem centenas de coronavírus - incluindo quatro que podem causar o resfriado comum, bem como os coronavírus que desencadearam a SARS, ou síndrome respiratória aguda grave, a epidemia de 2002 e o surgimento de MERS, ou síndrome respiratória do Médio Oriente, em 2012.

Um outro motivo que acelerou o desenvolvimento das vacinas para a Covid 19 foi uma enorme colaboração entre cientistas do mundo inteiro.

Num cenário normal, uma vacina levaria muito mais tempo a desenvolver. Mas no meio de uma pandemia com estas características, tempo é algo que não se pode desperdiçar e, por isso, a partilha de informação entre cientistas foi crucial para que encontrássemos uma vacina rapidamente.


É compreensível que estejas com dúvidas sobre a eficácia das vacinas. Afinal, tem sido largamente noticiada a segurança da vacina da AstraZeneca. É normal que assim seja. Se isto te pode tranquilizar, deves saber que a segurança das vacinas recebe uma muito maior atenção mediática do que a sua eficácia.

É normal que assim seja. Todos sabemos que “as más notícias vendem” e, por isso, devemos esperar que os media noticiem com muito mais intensidade os efeitos adversos de uma vacina do que os seus benefícios. Em cima disto, há que por o efeito dos social media e como as pessoas os usam, amplificando as notícias alarmantes e dando asas às fake news e à desinformação.

Apesar de bizarra, a nota do governo australiano tem a sua razão de ser neste contexto.


  • Partilha:

Top