Aí estão os grandes vencedores dos Óscares e os melhores momentos da noite

A AGUARDADA 93.ª EDIÇÃO DOS ÓSCARES CHEGOU! HOUVE SURPRESAS, APOSTAS CERTAS E HISTÓRIA FEITA POR MUITOS NOMEADOS

Madalena Costa
Ana Margarida Oliveira


Uma das maiores, mais aclamada e esperada entrega de prémios de Hollywood aconteceu, este domingo.


Ao contrário de várias outras cerimónias de prémios, os Óscares colocaram em prática um plano para existir público e dividiu-se entre três cidades.


A gala, que foi bem diferente daquilo que se esperava - devido a toda a situação pandémica que se vive - ficou marcada por várias surpresas.


Sem anfitrião, sem momentos de humor, sem orquestra ao vivo e sem tantas outras coisas, esteve em grande evidência a vertente humana nesta gala, sobretudo, no conteúdo de vários discursos que salientaram a importância da bondade, da tolerância, da possibilidade de se conseguir realizar sonhos e onde também foi dominante o tom emocional. Houve ainda muita inclusão quer nos discursos, quer na própria diversidade da distribuição dos prémios.

Outra novidade foi a possibilidade de os vencedores poderem falar sem limite de tempo.


Pela primeira vez na história dos Óscares, o Prémio Humanitário Jen Hersholt - que nasceu na década de 1950 e é apenas atribuído em situações especiais - foi entregue ao Motion Picture and TV Fund. A celebrar 100 anos de assistência a trabalhadores da indústria do entretenimento, em alturas de crise, a organização foi distinguida pela ajuda prestada a lares de idosos, creches, cuidados paliativos e de enfermagem, e aos apoios financeiros que oferece.


A juntar-se a esta distinção, também Tyler Perry foi distinguido com o Prémio Humanitário Jen Hersholt. Por detrás deste prémio, esteve o trabalho filantropo que Tyler Perry, ator de comédia, realizador e argumentista, desenvolveu junto dos mais desfavorecidos. No seu discurso, o ator americano disse que a mãe sempre o ensinou que deve recusar o ódio e Tyler Perry pediu isso mesmo ao mundo também, no seu discurso impressionante.


A gala, que foi bem diferente daquilo a que o público está habituado, foi marcada por alguns momentos particulares:


- Chloé Zhao torna-se a primeira mulher asiática a ganhar o Óscar na categoria de realização;

- Glenn Close protagoniza um grande momento da noite, prova que sabe muito e ainda deu um show de dança;



- Anthony Hopkins torna-se o ator mais velho a ganhar um Óscar, mas não compareceu à cerimónia;

- A mulher mais velha a ganhar um Óscar foi Ann Roth, com 89 anos. Ganhou o óscar de melhor guarda roupa para "Ma Rainey's Black Bottom";

- Frances McDormand vence, pela terceira vez, o prémio de "Melhor Atriz";

- O Óscar de melhor filme não foi o último como normalmente é. Esses foram para a melhor e atriz e melhor ator;

- Um prémio foi apresentado sem ser em inglês, foi em coreano;

- Um prémio foi apresentado em língua gestual e traduzido para inglês (e não o contrário).


Numa noite em que até a passadeira vermelha não faltou, houve muito glamour, brilhos, talento e, claro, prémios. Por isso, vamos a eles!


Os grandes vencedores da noite foram:


Melhor Filme

Melhor Ator

  • Riz Ahmed, "Sound of Metal";
  • Chadwick Boseman, "Ma Rainey's Black Bottom":
  • Anthony Hopkins, "The Father";
  • Gary Oldman, "Mank";
  • Steven Yeun, "Minari".

Melhor Atriz

  • Viola Davis, "Ma Rainey's Black Bottom";
  • Andra Day, "The United States vs. Billie Holiday" - mais um filme que tem o apoio da RFM;
  • Vanessa Kirby, "Pieces of a Woman";
  • Frances McDormand, "Nomadland";
  • Carey Mulligan, "Promising Young Woman".

Melhor Atriz Secundária

  • Maria Bakalova, "Borat Subsequent Moviefilm";
  • Glenn Close, "Hillbilly Elegy";
  • Olivia Colman, "The Father";
  • Amanda Seyfried, "Mank";
  • Yuh-jung Youn, "Minari".

Melhor Ator Secundário

  • Sacha Baron Cohen, "The Trial of the Chicago 7";
  • Daniel Kaluuya, "Judas and the Black Messiah";
  • Leslie Odom Jr., "One Night in Miami…";
  • Paul Raci, "Sound of Metal";
  • LaKeith Stanfield, "Judas and the Black Messiah".

Melhor Guarda Roupa

  • "Emma.";
  • "Ma Rainey's Black Bottom";
  • "Mank";
  • "Mulan";
  • "Pinocchio".

Melhor Som

  • "Greyhound";
  • "Mank";
  • "News of the World";
  • "Soul";
  • "Sound of Metal".

Melhor Curta de Animação

  • "Burrow";
  • "Genius Loci";
  • "If Anything Happens I Love You";
  • "Opera";
  • "Yes-People".

Melhor Curta Metragem

  • "Feeling Through";
  • "The Letter Room";
  • "The Present";
  • "Two Distant Strangers";
  • "White Eye".

Melhor Banda Sonora Original

  • "Da 5 Bloods";
  • "Mank";
  • "Minari";
  • "News of the World";
  • "Soul".

Melhor Montagem

  • "The Father";
  • "Nomadland";
  • "Promising Young Woman";
  • "Sound of Metal";
  • "The Trial of the Chicago 7".

Melhor Filme Internacional

  • Denmark, "Another Round";
  • Hong Kong, "Better Days";
  • Romania, "Collective";
  • Tunisia, "The Man Who Sold His Skin";
  • Bosnia and Herzegovina, "Quo Vadis, Aida?".

Melhor Curta Documental

  • "Colette";
  • "A Concerto Is a Conversation";
  • "Do Not Split";
  • "Hunger Ward";
  • "A Love Song for Latasha".

Melhor Documentário

  • "Collective";
  • "Crip Camp";
  • "The Mole Agent";
  • "My Octopus Teacher";
  • "Time".

Melhor Design de Produção

  • "The Father";
  • "Ma Rainey's Black Bottom";
  • "Mank";
  • "News of the World";
  • "Tenet".

Melhor Fotografia

  • "Judas and the Black Messiah";
  • "Mank";
  • "News of the World";
  • "Nomadland";
  • "The Trial of the Chicago 7".

Melhores Efeitos Visuais

  • "Love and Monsters";
  • "The Midnight Sky";
  • "Mulan";
  • "The One and Only Ivan";
  • "Tenet".

Melhor Caracterização

  • "Emma.";
  • "Hillbilly Elegy";
  • "Ma Rainey's Black Bottom";
  • "Mank";
  • "Pinocchio".

Melhor Filme de Animação

  • "Soul";
  • "Wolfwalkers";
  • "Onward";
  • "Over the Moon";
  • "A Shaun the Sheep Movie: Farmageddon".

Melhor Canção Original

  • "Fight For You", de "Judas and the Black Messiah";
  • "Hear My Voice", de "The Trial of the Chicago 7";
  • "Husavik", de "Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga";
  • "lo Sì (Seen)", de "The Life Ahead (La Vita Davanti a Se)";
  • "Speak Now", de "One Night in Miami...".

Melhor Argumento Adaptado

  • "Borat Subsequent Moviefilm";
  • Christopher Hampton and Florian Zeller, "The Father";
  • Chloé Zhao, "Nomadland";
  • Kemp Powers, "One Night in Miami…";
  • Ramin Bahrani, "The White Tiger".

Melhor Argumento Original

  • "Judas and the Black Messiah";
  • Lee Isaac Chung, "Minari";
  • Emerald Fennell, "Promising Young Woman";
  • "Sound of Metal";
  • Aaron Sorkin, "The Trial of the Chicago 7".

Melhor Realização

  • Thomas Vinterberg, "Another Round";
  • David Fincher, "Mank";
  • Lee Isaac Chung, "Minari";
  • Chloé Zhao, "Nomadland";
  • Emerald Fennell, "Promising Young Woman".

  • Partilha:

Top