Português é distinguido internacionalmente por ter a melhor tese de Qualidade do mundo

COM 32 ANOS, ANDRÉ M. CARVALHO FOI PREMIADO PELA ACADEMIA INTERNACIONAL PARA A QUALIDADE


O que é português é muito bom e não somos só nós que o dizemos!


Um investigador português foi distinguido pela Academia Internacional para a Qualidade (IAQ) por ter a melhor tese de doutoramento do mundo nessa área, em 2020.


O prémio, intitulado Riccardo Dell’Anna Doctoral Dissertation Prize, foi entregue, pela primeira vez, a André M. Carvalho, que provou que “organizações com foco na qualidade e melhoria contínua conseguem resistir e prosperar em ambientes cada vez mais incertos e complexos”, de acordo com a Ordem dos Engenheiros.



A ideia deste português foi provar que, em ambientes instáveis - como os tempos que vivemos - as organizações podem ver resultados se investirem na qualidade e na melhoria contínua. Para o investigador, qualidade é “alinhar a organização com os requisitos do cliente e as necessidades da sociedade”.


Para ser distinguindo, o trabalho de André M. Carvalho fez parte de um estudo, que analisou dez organizações de dois países (Portugal e Estados Unidos) e que decorreu na Escola de Engenharia da Universidade do Minho, em Guimarães.


Nascido há 32 anos em Braga, André M. Carvalho conta já com uma vasta carreira e um longo currículo. Tem um mestrado integrado em Engenharia e Gestão Industrial pela UMinho, um doutoramento em Líderes para as Indústrias Tecnológicas pela UMinho e MIT (EUA) e ainda tem uma pós-gradução pela Universidade Técnica da Dinamarca.


Entretanto, fundou o primeiro e único núcleo de estudantes com interesse na área da Qualidade da Europa – o ASQ UMinho Student Branch - e presidiu ao Núcleo Alumni de Engenharia e Gestão Industrial da UMinho.


Entre várias empresas nas quais já colaborou, atualmente, André M. Carbalho é investigador do Centro Algoritmi e professor da Universidade Lusófona de Lisboa.


  • Partilha:

Top