Gravações de Amália Rodrigues candidatas a Memória do Mundo da UNESCO

O LEGADO QUE AMÁLIA RODRIGUES DEIXOU NA MÚSICA PODE SER CONSIDERADO "MEMÓRIA DO MUNDO" DA UNESCO

Jéssica Santos


A voz de Amália Rodrigues e o legado que deixou na música portuguesa serão para sempre relembrados. Amália Rodrigues levou o nome de Portugal e do fado além-fronteiras e, como forma de homenagem, o Governo candidatou as suas gravações a Memória do Mundo da UNESCO.


Esta é a primeira vez que Portugal submete um documento audiovisual. E para primeira escolha não poderia ser outra coisa se não o espólio de Amália Rodrigues pelo “valor universal excecional do registo da sua voz e da sua música”, segundo o Ministério da Cultura citado pela Lusa.


O ano em que esta candidatura se concretiza também não podia ser deixado ao acaso: 2021 coincide com o centenário de Amália Rodrigues. Nesta candidatura encontram-se gravações de Amália Rodrigues, entre 1951 e 1990, e outras inéditas, nunca antes publicadas, como ensaios, diferentes takes, experiências de gravação, gravações informais, entre outras.




Esta candidatura permite não só homenagear a carreira de Amália Rodrigues, como preservar e dar visibilidade a alguns trabalhos da cantora nunca antes ouvidos.

É um privilégio ter na história portuguesa uma artista que cantou em todos os cantos do mundo e em várias línguas. A portuguesa, a espanhola, italiana, francesa ou inglesa.

Graças à sua irreverência, abriu novos horizontes no fado. Trouxe-lhe novos estilos musicais e poéticos e um outro estilo interpretativo. E hoje continua a ser um nome que faz história.


  • Partilha:

Top