Teletrabalho e menos tempo de luzes de Natal: as recomendações do Governo para o inverno

VIVEMOS TEMPOS DE GUERRA, DE INFLAÇÃO E DE UMA CRISE ENERGÉTICA E, POR ISSO, HÁ MEDIDAS A TOMAR PARA REDUZIR GASTOS NO INVERNO

Madalena Costa


Chegou agora o outono, mas já se está a preparar o inverno. Os portugueses sabem que vão ter de reduzir os consumos energéticos, uma vez que, infelizmente, estamos em tempo de guerra e, ao mesmo tempo, a viver uma escalada da inflação e uma crise energética.


O inverno vai ser exigente e não é só devido ao frio. Por isso, há que tomar algumas medidas para reduzir alguns gastos.


Foi isso que o Governo fez e anunciou, esta terça-feira, o Plano de Poupança de Energia 2022/2023.


Entre algumas das recomendações, estão, por exemplo, o teletrabalho, sempre que possível, e a redução do tempo em que as iluminações do Natal vão estão ligadas. Mas há mais medidas para reduzir os gastos dos consumos energéticos!


Elas são, de acordo com a resolução do Conselho de Ministros:

  • Reduzir o consumo energético associado à iluminação pública (luzes de Natal ligadas das 18h às 00h), entre os dias 6 de dezembro de 2022 e 6 de janeiro de 2023;
  • Desligar iluminação de faixas, lonas e estandartes publicitários e cartazes na via pública e edifícios (a partir das 22h no inverno e a partir das 23h no verão);
  • Desligar a iluminação exterior de caráter decorativo dos edifícios a partir das 24h00, salvaguardando questões de segurança;
  • Desligar a iluminação interior sempre que o espaço não esteja em uso e após o horário de trabalho;
  • Reduzir o consumo energético na climatização de espaços;
  • Reduzir o consumo energético em piscinas e complexos desportivos (incluindo pavilhões desportivos e ginásios);
  • Promover, na medida do possível, práticas de gestão dos recursos humanos que permitam a redução dos consumos energéticos (por exemplo, avaliando as poupanças energéticas do recurso ao teletrabalho);
  • Reduzir o desperdício de água na rega de espaços exteriores;
  • Aumentar a eficiência hídrica;
  • Formar e/ou capacitar para potenciar a eficiência hídrica.



Além de todas as medidas do Plano de Poupança de Energia 2022/2023, inclui-se ainda a realização de campanhas de comunicação para sensibilizar os portugueses a aplicarem estas medidas, nas suas casas, para reduzir os gastos.


Neste momento, de acordo com o mesmo plano, espera-se que haja um compromisso geral dos setores e das empresas.

No entanto, caso seja declarado "alerta da União Europeia, o Plano de Poupança de Energia 2022-2023 passará a ser de caráter obrigatório e poderá contemplar medidas excecionais".


  • Partilha:

Top