O bocejo pega-se?


Apostamos que daqui a uma linha…. já bocejas! Isto pega-se!
Fica o aviso!

Quando tens alguém ao pé de ti a bocejar, não resistes e começas a bocejar descontroladamente?
E se ouvires um bocejo ao telefone, bocejas em sintonia? Se vires um ator num filme, não controlas o bocejo? Só de veres imagens de bocejo, não te aguentas? Os russos, na gelada Sibéria, bocejam mais do que os brasileiros, na quente e húmida Amazónia?

Afinal é o bocejo apenas um contágio e uma imitação ou é uma necessidade do corpo... que está com sono ou muito enfadado?


São muitos os estudos que tentam descobrir e explicar o intrigante fenómeno do bocejo e o seu contágio imediato.
Antes de percorrermos todas as possíveis origens do bocejo, temos de dizer que o bocejo é um fenómeno que nos controla completamente!

Quando começas um bocejo é praticamente impossível de interrompê-lo. Até podes fechar a boca, mas os músculos, que estão a bocejar, não te obedecem! Continuam contraídos, sem qualquer hipótese de controlo.

O bocejo é aparentemente involuntário e altamente contagioso! Há estudos que dizem que o bocejo é uma necessidade de arrefecer o cérebro e, por esta razão, aparece quando estamos em ambientes mais quentes ou quando o sono e o cansaço tomam conta de nós porque, com estes, a temperatura cerebral aumenta.


Então, quem vive em países com temperaturas médias, dizem os estudos, boceja menos do que aqueles que habitam em países com temperaturas muito altas ou muito baixas.

Partindo do princípio que o bocejo serve, segundo estas teorias, para arrefecer o cérebro, nos lugares muito frios, não é preciso “refrescar a cabeça”, porque todo o corpo está gelado e boceja-se menos. Nos países muito quentes, o corpo “não quer” inspirar ar ainda mais quente e assim boceja-se também menos.


O bocejo é também provocado, dizem ainda outros estudos, por um ambiente relaxado e tranquilo. Se fazes ioga ou alguma outra atividade de distensão, sabes que isto te acontece.
Há ainda quem diga que o bocejo permaneceu em nós desde os tempos remotos da humanidade em que se “abria a boca”, em bocejo, para mostrar os dentes numa manifestação de superioridade, em situação de confronto.


Mas afinal o que é um bocejo?




É um “episódio” de mais ou menos 3 a 8 segundos constituído por um momento de forte inspiração de ar ao mesmo tempo que a mandíbula se abre ao extremo, provocando um instante de apneia (falta de ar), com contração muscular. Segue-se o fechamento da mandíbula com uma rápida expiração. Termina com uma inexcedível sensação de alívio.

O bocejo pega-se?
Quando vês, ouves ou apenas falas do assunto, desatas a bocejar? Desatamos todos!
O bocejo pega-se!

Uns dizem que é por pura empatia!
Basta veres uma fotografia ou um vídeo, a cores ou mesmo a preto e branco, que o bocejo não te larga. Pode chegar isolado, abres a boca uma vez e pronto ou em contínuo!

Outros explicam que são os neurónios-espelho que soltam um ato-reflexo, que não controlamos.

Também se diz que bocejamos mais quando estamos ao pé de amigos e da família do que em ambientes que nos são mais estranhos.

Os bebés bocejam desde cedo e os cães bocejam mais quando estão ao pé dos donos.


Como deixas de bocejar?

Quando acabares de ler este texto, por um lado!

Por outro, diz-se que se colocares um saco de água fria, em cima da cabeça, se acabam os bocejos. Lá está... o cérebro arrefece!



Este texto foi acompanhado por 235.893.560.873.645 bocejos enquanto foi escrito!

  • Partilha:

Top