As músicas da Expo'98


Muitos anos antes do Rock in Rio Lisboa e da Websummit, a Expo'98 foi sem dúvida a maior festa que Lisboa já tinha visto!

Entre 22 de Maio e 30 de Setembro de 1998, a Expo'98 trouxe a Portugal milhões de visitantes e, principalmente, 4 meses de animação, recheados de novidades, sol, calor, vulcões de água, festas, espetáculos pirotécnicos e musicais! A Expo foi uma espécie de “spring break” coletivo que quem viveu não esquecerá certamente!

A RFM esteve lá em 1998 e contou-te tudo em direto

Agora, para assinalar os 20 anos da abertura da Expo’ 98, aqui ficam muitas das músicas que, quem foi à Expo, ouviu, cantou e e dançou (até em cima das mesas do mítico bar Bugix) músicas como estas:



Em 4 meses de Expo'98, pelo anfiteatro da Doca, pelo Palco 6 e pela Praça Sony, e muitos outros espaços, desfilaram músicos como os Silence 4 (que começaram com uma atuação num palco pequeno e encerraram a festa a 30 de Setembro na Praça Sony), BB King, Blind Zero, Caetano Veloso Catatonia, Césaria Evora, Clã, Daniela Mercury, David Byrne, Delfins, Dulce Pontes, Excesso, Fafá de Belém, Foo Fighters, Gabriel o Pensador, Gal Costa, Garbage, Gene, Gilberto Gil, GNR, Joaquín Cortez, João Afonso, Lou Reed, Luis Represas, Madredeus, Maria Bethânia, Maria João e Mário Laginha, Marisa Monte, Mafalda Veiga, Morcheeba, Paulo Gonzo, Pedro Abrunhosa, Quinta do Bill, Ritual Tejo, Rui Veloso, Sara Tavares, Sérgio Godinho, Simply Red, Sheryl Crow, Savage Garden, Xutos e Pontapés e pela primeira vez em Portugal, um Beatle e– Ringo Starr que actuou com a sua All Star Band, dia 18 de Agosto de 1998, na Praça Sony.



Onde é que estavas na Expo’ 98?

Há precisamente 20 anos Portugal recebia um dos maiores eventos de sempre até à altura. A 22 de maio de 1998 Lisboa era inaugurada no novo Parque das Nações a Exposição Mundial de Lisboa (Expo 98). “Os Oceanos: um património para o futuro” foi o tema escolhido para esta exposição cujo objetivo era comemorar os 500 anos dos Descobrimentos Portugueses.

A zona escolhida para o recinto foi a, até então, quase abandonada zona oriental de Lisboa junto ao rio Tejo. Aí foram contruídos diversos pavilhões, alguns dos quais permaneceram depois da Expo como o Oceanário (o maior aquário do Mundo com a reprodução de 5 oceanos distintos e numerosas espécies de mamíferos e peixes, do arquiteto Peter Chermayeff) um pavilhão de múltiplas utilizações (o Pavilhão Atlântico, do arquiteto Regino Cruz, agora renomeado Altice Arena) e um complexo de transportes com metropolitano e ligações ferroviárias (Estação do Oriente, do arquiteto Santiago Calatrava).

A EXPO'98 atraiu cerca de 11 milhões de pessoas que, além de visitar pavilhões de países de todo o mundo, podia frequentar dezenas de restaurantes e bares, assistir a espáculos de luz e som, desfiles loucos como a “Peregrinação” e a cerca de 5000 eventos musicais em palcos espalhados por todo o recinto.



Há 20 anos começava assim, em Lisboa, uma festa que nos deixaria boas memórias e uma Lisboa ainda mais bonita!


  • Partilha:

Top