O site da RFM utiliza cookies. Ao navegar está a concordar com a sua utilização.
Saiba mais sobre o uso de cookies.Fechar

7 curiosidades sobre a nossa seleção

Estamos em plena “época oficial do arrepio” e de nervos também! Portugal está nos oitavos de final e joga com o Uruguai, hoje!

É nestas alturas que nos corre nas veias um sangue forte e intenso cheio de portugalidade, de orgulho e de união.

É de coração cheio, bandeira na mão, cores de Portugal nas nossas caras e com a voz afinada que continuamos a gritar Portugal, Portugal!!

Deixamos-te aqui 7 das muitas curiosidades da nossa seleção. Diverte-te!


1 – Portugal começou por jogar numa cidade-resort

Portugal volta a jogar, hoje, em Sóchi, onde jogou com Espanha, na fase de Grupos, a 15 de junho, com um empate 3 a 3.

A cidade Sóchi - em russo Со́чи - é uma cidade-resort na Rússia, situada no sudoeste do país, nas proximidades das montanhas do Cáucaso e do mar Negro.


É dos locais com o clima mais ameno de toda a Rússia. No verão, as temperaturas andam à roda dos 26 e 32 graus. Estas temperaturas e o facto de ter quer montanhas quer praia fazem de Sóchi uma cidade-resort, procurada por muitos russos para passar férias.


2 – Portugal no coração dos jogadores

O símbolo de Portugal está, nas camisolas de jogo, do lado esquerdo, bem pertinho do coração dos jogadores.


3 – O número especial de André Silva

Marcou o 1000º golo da seleção de Portugal no jogo de preparação (28 de maio), em Braga, contra a Tunísia.

Chama-se André Silva e vai usar, no Mundial, a camisola com o número 9. O mesmo número que, no Europeu de 2016, foi usado por Éder, o jogador que, em França, nos deu a vitória na final e nos fez campeões da Europa.


4 – Portugal jogou no estádio que recebeu Michael Jackson


O segundo jogo de Portugal, na fase de grupos, foi contra Marrocos, no estádio Lujniki em Moscovo. Ganhámos por 1 a 0.

Para além de este nome aparecer também nas versões Luzniki ou Luzhniki – em russo Лужники – , o estádio foi palco de um grande concerto de Michael Jackson, em 1993, integrado na Dangerous World Tour.

Estavam 115 mil pessoas a assistir e diz-se que este é o recorde de lotação de Lujniki, antigo estádio central de Lenine (inaugurado em 1956). É o estádio do Spartak de Moscovo.


5 – Quem veste a camisola nº 13?



Não é um número que agrada a todos… essa é que é essa! Na nossa seleção é Ruben Dias quem vai vestir a camisola nº 13.

Exatamente o mesmo número que Eusébio usou no Campeonato do Mundo de 1966, em Inglaterra.


Já agora, Ruben Dias é o jogador mais novo da seleção, com 21 anos, e Bruno Alves é o mais velho, com 36 anos.


6 – Um paralelismo inquietante

Vamos lá por partes, porque este paralelismo ou coincidência merecem atenção!

Manuel Fernandes, que faz parte da atual seleção, joga no Lokomotiv de Moscovo, na Rússia, país onde se realiza o Mundial.

Há 2 anos, Éder, que marcou o golo da vitória, jogava igualmente num clube (Lille) do país anfitrião do Europeu, contra o qual jogámos a final.

Por outro lado, Éder está agora a jogar no Lokomotiv.

Se Éder tivesse sido chamado à seleção tinha uma espécie de “força do destino” em cima dele. Quem faz uma vez, faz duas!

Sem Éder, a pergunta é inevitável, de acordo com este paralelismo com ar de coincidência:

Será que Manuel Fernandes vai marcar um golo, numa possível final entre a Rússia e Portugal…?


7 – Um português no Irão


Jogámos contra o Irão, cujo selecionador é o português Carlos Queirós.

O 3º jogo de Portugal, na fase de grupos, foi a 25 de junho, em Saransk, contra a seleção iraniana.

Saransk – em russo Сара́нск - fica a 630 km de Moscovo e situa-se na bacia do Rio Volga, onde os rios Saranka e Insar confluem.


Agora é encher o peito de orgulho, afinar a voz e saber de cor e salteado o hino de Portugal.

,


Heróis do mar, nobre Povo,
Nação valente, imortal,
Levantai hoje de novo
O esplendor de Portugal!
Entre as brumas da memória,
Ó Pátria, sente-se a voz
Dos teus egrégios avós,
Que há de guiar-te à vitória!
Às armas, às armas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar
Contra os canhões marchar, marchar!

Todos sabemos, mas não é de mais recordar que “egrégios” quer dizer nobres, ilustres, distintos e que está na alma lusa honrar os portugueses famosos e corajosos como foi o caso da nossa seleção, no Europeu de 2016!


Depois, é assim que vais estar, no sofá, a ver os nossos jogadores, como o CR7, na sua casa madrilena, com paz, harmonia e amor :)

  • Partilha:

Top