A Madeira de Pedro Fernandes

Sim, já fui várias vezes à Madeira. Umas vezes meio a correr outras literalmente para ir correr, porque os trilhos são incríveis!

Desta vez pensei numas miniférias ou escapadinha romântica. A diferença está em levar os miúdos, não é? Os nossos vieram. E adoraram! Nós também.
Fomos na 6ªfeira à noite para começarmos o sábado logo bem cedo. E valeu a pena. O primeiro dia foi logo em grande!
Fomos pela primeira vez a Chão da Ribeira, um vale incrível no meio da Floresta Laurissilva - Património da Humanidade, onde fizemos arborismo, arco e flecha e uma caça ao tesouro.


Os miúdos é que encontraram o tesouro e adoraram, até porque se tratava de moedas de chocolate! Mas o melhor ainda estava para vir: fizemos bolo do caco e almoçámos a famosa espetada madeirense em pau de Loureiro, cortesia do grande chefe Camacho! Inesquecível.


O tempo estava espetacular e depois de feita a digestão partimos para as piscinas de Porto Moniz para uma tarde de mergulhos antes de terminarmos o dia com um jantar no UVA - Hotel The Vine, com vista para o fogo de artifício do Festival Atlântico. Um dia em cheio.

Vale mesmo a pena visitar a Madeira, pensei! Ou melhor… confirmei. Mas o mais incrível é que a Madeira está sempre a surpreender. E por muito que aches que já conheces bem e que já viste tudo… há sempre coisas novas. A prova disso mesmo foi o segundo dia na ilha.
Depois do pequeno almoço na Quinta da Bela Vista, um Boutique Hotel que ganhou um prémio dos World Travel Awards em 2019, fomos para a Fajã dos Padres, um dos meus sítios preferidos da Madeira e onde faço sempre questão de ir.

Descemos no teleférico e andámos pelas plantações de bananas onde o verde contrasta com o azul do mar. Até um lobo marinho apareceu para dizer “olá”! Eu sei, parece mentira, não é? Mas juro que vi! A parte do “olá” estava entre aspas, ok?

Aí, no almoço, comemos umas lapas incríveis. Podes ver nas fotos. Mas acredita em mim, sabem ainda melhor do que parece. E isto foi só a entrada, porque depois seguiu-se um senhor Pargo!

Fomos também às piscinas naturais da Doca das Cavacas. São lindas e não precisam de filtros quando publicamos fotografias de uma tarde incrível destas.

Pelo meio fomos ao Museu da Baleia, no Caniçal, muito pedagógico para os miúdos. Até deu para dar uma volta de submarino! A noite terminou no restaurante Nini Design Center com o Funchal a perder de vista.
Último dia: subida no teleférico (sempre emocionante, especialmente para os mais novos) para ir visitar o Monte Palace Jardim Tropical, um sítio incrível que ainda não conhecíamos! Lá está! Ah! Já me ia esquecendo do famoso filete de peixe-espada. O que comi no Pátio das Babosas era do outro mundo (agora é meu).


Fico com a ideia de que há ainda mais coisas para descobrir, fazer, ver, provar….

Já deves ter vistos os cartazes na rua ou os anúncios de que “este é o ano para ir à Madeira”! Eu fui! E tu?

  • Partilha:

Top