7 dicas para gastares muito menos dinheiro no Natal!

Ana Margarida Oliveira

É todos os anos a mesma coisa!

Quem nunca disse "para o ano, no Natal, vou gastar menos dinheiro. Ai, vou, vou!" Quem nunca? Só que 12 meses depois, as ruas iluminadas, as montras espetaculares, o tempo frio, o Natal à porta, o cheiro a castanhas no ar, a lista de presentes que ficou por fazer... e lá embarcamos nós, outra vez, num gasto incrível de dinheiro.


Se pararmos um pouco, sabemos que o Natal não é, na verdade, na sua essência, um momento para se gastar dinheiro ou para se encher a família e os amigos de presentes. O Natal celebra o nascimento de Jesus e o que é importante é estarmos presentes na vida uns dos outros em vez de darmos “apenas” presentes, conferindo um cunho mais material a esta época do ano.


Uma das formas de nos fazermos presentes na vida uns dos outros pode revelar-se através de fazer companhia a amigos ou familiares mais sozinhos, carentes ou fragilizados. Pode também ser ajudando-nos mais uns aos outros nas coisas mais simples da vida. É, afinal, praticar algum altruísmo a diversos níveis. No trabalho, em casa, junto dos grupos de amigos, dentro das nossas famílias. Dar um presente é naturalmente também estarmos presentes na vida dos outros, um presente que seja simbólico, que nos faça lembrar dessa pessoa.


Sabemos, porém, que tudo o que nos rodeia apela à compra. A isto junta-se a nossa espontânea vontade de comprar, também porque as lojas, os centros comerciais e as ruas estão cheiinhos de coisas giras, bonitas, bem apresentadas e que rapidamente nos lançam numa espiral de impulso à compra, tantas vezes difícil de controlarmos mesmo quando sabemos que não podemos ou não devemos gastar tanto dinheiro.


Para conseguires controlar-te um bocadinho e para não gastares mais dinheiro do que queres ou do que podes, deixamos-te aqui umas dicas para gastares muito menos dinheiro, este Natal. Dás presentes na mesma, deixas a tua família e os teus amigos felizes e manténs-te não só no orçamento como vais sentir que o Natal é bem mais do que gastar dinheiro em presentes e compras.



1 - Definir com exatidão o número de presentes


Tirando pai, mãe, sogro e sogra, marido e mulher ou namorada e namorado e filhos, se a família for muito grande faz um “irmão secreto”, “primo secreto”, “tio secreto”, “cunhado secreto”. Se tiveres vários grupos de amigos, continua a fazer o “amigo secreto”.


Vamos agora aos casais pai/mãe, sogra/sogro e marido/mulher entre si: dá um presente aos pais, em conjunto, em vez de dares um à mãe e outro ao pai. Faz o mesmo com os sogros ou outros casais da família próximos. Oferece 1 presente ao casal e não a cada um dos elementos.

No que respeita ao casal marido e mulher, ou seja, a ti e ao teu par, podes optar também por 1 único presente. Deem uma coisa para a casa ou algo de que possam usufruir juntos. Assim, compram os dois apenas 1 presente e não 2.

Desta forma reduzes bastante o número de presentes. A organização pode carecer de alguma planificação e de fazer contas mas, no final, compras praticamente metade dos presentes.




2 - Fixar um plafond


É absolutamente necessário definir um plafond para cada presente e para a totalidade e não desviar um milímetro. Mesmo quando defines valores diferentes para os vários membros da família, deves estabelecer esse valor como limite máximo e não como um valor a exceder. Por exemplo, se fixares 20 € como valor limite deve ser até 20 € e não “à volta de” 20€. Sê rigoroso no valor individual e no valor total. É certo que o ambiente do “estar às compras”, no Natal, estimula a comprar mais e, por vezes, quando encontras finalmente o presente de que andavas à procura e este é mais caro do que o valor definido, acabas por ceder. Os pequenos gastos a mais resultam, já sabemos, numa quantia maior do que a prevista
Faz mesmo uma lista, do tipo:

Pai x €
Mãe x €
Tios x €

Acrescenta a esta lista o que te parece que cada um deles precisa e que esteja dentro do teu orçamento. Assim é um 2 em 1, compras um presente ao mesmo tempo que satisfazes uma necessidade dessa pessoa.


3 – Antever


Pode ser chato, pode não te apetecer nada, mas se tiveres a lista, de que falámos no ponto anterior, pronta, durante as férias de verão, consegues gastar menos dinheiro, mais à frente. Sim, é isso mesmo que estás a pensar! Durante as férias de verão, à medida que vais vendo possíveis presentes, toma nota ou, se puderes, compra logo um ou outro. Para além de poupares em stress e em tempo, nas semanas que antecedem o Natal, espalhas os teus gastos por vários meses e, aos poucos, vais comprando presentes sem fazer grande mossa no teu orçamento.
Esta tarefa de visão e de antecedência pode parecer ridícula… estarmos na praia a pensar nos presentes de Natal e nas listinhas, só que, mais à frente em dezembro, a tua conta mantém-se confortável! E não perdes tempo nas compras por atacado nas vésperas de Natal, porque as vais fazendo aos poucos.

4 – Promoções de verão


Mais uma vez, quem é que, em julho e agosto, está a pensar no Natal? Ninguém. Se aproveitares – uma vez que tens já a lista feita e os plafonds definidos - os saldos de verão, há muita coisa que podes comprar em promoção. Lembra-te que, nestes saldos, não são só biquínis e fatos de banho que estão com uma boa percentagem de redução de preços. São muitos outros produtos como carteiras, bolsas, echarpes, vinhos, conjuntos de copos, peças para a casa, entre imensas outras coisas. Lojas, grandes superfícies, centros comerciais, grandes superfícies de eletrodomésticos e de móveis e de acessórios estão cheios de promoções no verão. Compra, pede para fazer um embrulho, põe uma etiqueta com o nome, dá baixa na tua lista, colocando o nome do presente à frente, e guarda todos juntos. Não os guardes em locais diferentes para não te esqueceres deles, uns meses depois, no Natal.

5 - Outlets


É uma evidência, mas vale a pena. Se estiveres a par dos preços que normalmente se praticam nas lojas, podes perceber, produto a produto, que tipo de desconto é que os mesmos têm nos outlets. E, mais uma vez, vai com antecedência. Há menos gente, há mais escolha e menos produtos esgotados. Sempre munida da dita lista de presentes e com o valor máximo que queres gastar com cada um. Não esquecer!


6 – Regifting


Esta é uma prática menos aconselhável, mas é uma técnica para não gastar dinheiro. Chama-se regifting e há quem pratique esta situação! Regifting é “reoferecer” o que alguém te deu anteriormente e de que não gostas ou não te faz falta.
Deves, no entanto, fazer uma lista de quem te deu e a quem vais dar para que não o ofereças à mesma pessoa que to deu no último Natal. Devem ser produtos ainda por usar e dentro da validade, devidamente fechados e não usados.



7 – Presentes para os animais


Fazes tudo igual! Acrescentas o nome do teu ou dos teus animais à lista de presentes, com o valor máximo limite, e utilizas todas as dicas anteriores.


Boas poupanças, boas compras e muito controlo!! :)


  • Partilha:

Top