Salvador Dalí foi salvo por Aristides de Sousa Mendes

ARISTIDES DE SOUSA MENDES SALVOU MAIS DE 30 MIL PESSOAS DA GUERRA, INCLUINDO ARTISTAS COMO SALVADOR DALÍ

Jéssica Santos


Corria o ano de 1940 e o mundo atravessava um dos piores cenários da história: a Segunda Guerra Mundial. Aristides de Sousa Mendes trabalhava como cônsul, em Bordéus, França, país para onde as tropas nazis avançavam rapidamente.



Neste período, Portugal era uma nação neutra e, por isso, o governo de Salazar ordenou a suspensão de vistos aos refugiados, impedindo-os de fugirem da guerra.


Perante esta realidade, Aristides de Sousa Mendes tentou persuadir o governo de Lisboa a retirar esta medida, mas sem sucesso. O diplomata não conseguiu ficar indiferente aos milhares de inocentes que perdiam a vida pela sua raça ou religião.

Aristides de Sousa Mendes foi contra as regras de Salazar e emitiu, dia e noite, sem parar, vistos que permitiram a mais de 30 mil pessoas fugir da guerra.



Deste número destacam-se nomes de artistas, como o ator norte-americano Robert Montgomery, o pianista polaco Witold Malcuzynski, a escritora francesa Tereska Torrès, e o pintor catalão Salvador Dalí e a mulher Gala, segundo "A Lista de Aristides de Sousa Mendes", um trabalho realizado pela investigadora Ana Cristina Luz, que agora pode ser lido em livro.



É graças a Aristides de Sousa Mendes que podemos ver, ouvir, ler e apreciar a arte de alguns dos artistas mais conhecidos do mundo.


Depois de salvar o máximo de pessoas que conseguiu, com a ajuda de alguns dos seus 14 filhos, Aristides de Sousa Mendes foi castigado pelo governo português.

Ficou sem trabalho, sem direito a exercer a profissão de advogado e sem dinheiro para sustentar a família. Vendeu tudo para pagar as dívidas e para sobreviver.

Depois de a mulher falecer, os seus filhos emigraram para os Estados Unidos e para o Canadá e Aristides de Sousa Mendes passou os seus últimos dias de vida sozinho e pobre.



Aristides de Sousa Mendes foi muito mais do que um diplomata que quebrou as regras. Foi um homem que não conseguiu ficar indiferente à injustiça, e usou o seu poder para salvar vidas. Foi contra o seu próprio governo, pôs-se em risco e perdeu tudo em prol dos outros.


Aristides de Sousa Mendes é, sem dúvida, um herói nacional.


  • Partilha:

Top