Depois da saída “abrupta”, Cristina justifica-se.

Cristina Ferreira abandonou a SIC após uma decisão unilateral e surpreendente. Agora explica-se nas redes sociais. “Era preciso reconstruir paredes que tinham caído. Ninguém gosta de ver a casa da mãe a cair. E a filha volta para trabalhar.”

ANTÓNIO MENDES

Das três notícias que estão a marcar os últimos dias, FC Porto campeão e os regressos de Jorge Jesus ao Benfica e Cristina Ferreira à TVI, só esta última apanhou toda a gente de surpresa. Inclusivamente a SIC que, em comunicado, afirma que Cristina “decidiu cessar unilateralmente a sua ligação à SIC, colocando termo ao contrato que a vinculava até 30 de novembro de 2022”, uma “decisão abrupta e surpreendente”.

De acordo com o Público, a comunicação da troca da SIC pela TVI foi abrupta e surpreendente” porque, na sexta-feira à tarde, Cristina foi confrontada com rumores de que estava em negociações com o canal concorrente. A apresentadora admitiu e renunciou ao contrato.

Apanhada de surpresa, a SIC admite avançar com um processo judicial contra Cristina Ferreira por incumprimento contratual. De acordo com o Expresso, o canal de televisão pode exigir mais de 4 milhões de euros pela saída antecipada. Ainda de acordo com o Expresso, este valor compreende ganhos salariais da apresentadora e custos relacionados com compromissos já estabelecidos pela SIC com produtoras e marcas.

Desde setembro de 2018 que Cristina ganha anualmente na SIC 850 mil euros de salário e aproximadamente 150 mil euros em comissões, o que totaliza 1 milhão de euros por ano. Agora, Cristina irá ganhar três milhões de euros por ano.

Cristina, que já não volta a apresentar o seu programa na SIC, entra na TVI no dia 1 de setembro como responsável pelo pelouro de entretenimento e ficção, como administradora não executiva e ainda fica com uma participação de 1% a 2% no capital da empresa. Só em outubro Cristina voltará aos ecrãs.

O assunto ainda está muito quente. Porque foi uma “decisão abrupta e surpreendente”, pelos milhões de euros envolvidos na ida e, ainda mais, na volta e porque Cristina é uma das figuras mais populares da televisão portuguesa. Nas redes sociais abundam os comentários às notícias da notícia, entre palavras de incentivo e críticas ferozes á decisão de Cristina. São as redes sociais a serem o que são.

Talvez por isso, Cristina veio a publico no Facebook e no Instagram explicar a sua decisão. “Mas um dia alguém me disse que a casa mãe precisava de mim. Olhei e percebi que fazia lá falta”, justifica-se.

Cristina, que se refere à TVI como a casa mãe e ela a sua filha, continua afirmando que “Era preciso reconstruir paredes que tinham caído. Ninguém gosta de ver a casa da mãe a cair. E a filha volta para trabalhar.”

Numa outra publicação no Instagram, Cristina agradece à equipa que a ajudou a fazer o “Programa da Cristina” na SIC afirmando que “A minha SIC foi aquela casa“.

  • Partilha:

Top