Filmes candidatos aos Óscares terão de ter pelo menos 30% de mulheres no elenco

A 93ª CERIMÓNIA DOS ÓSCARES VAI REALIZAR-SE A 25 DE ABRIL DE 2021 E TEM MUITAS NOVIDADES

Jéssica Santos


A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos quer que os Óscares representem a diversidade da população global e, por isso, acaba de anunciar uma mudança nos requisitos para os filmes candidatos aos prémios.


Agora, para uma obra se candidatar à categoria de “Melhor Filme” terá de ter pelo menos um ator ou atriz principal de etnias asiática, hispânico, afroamericano ou nativo americano e ter, pelo menos, 30% de mulheres, LGBTQ+ ou pessoas com incapacidades no elenco secundário.


Estes novos requisitos vão ser postos em prática entre 2022 e 2024. Nos últimos anos, a Academia tem sido alvo de críticas de falta de representatividade de minorias étnicas, falta diversidade de género e de exclusão de mulheres nos Óscares.


“Acreditamos que a inclusão daqueles padrões impulsionará uma mudança essencial e duradoura na nossa indústria", afirmam os responsáveis da organização, David Rubin e Dawn Hudson.


A cerimónia dos Óscares foi adiada de fevereiro para 25 de abril devido à pandemia da Covid-19 e o anúncio dos nomeados será feito dia 15 de março.


  • Partilha:

Top