Elementos do movimento “Sobreviver a Pão e Água” acampam à frente da Assembleia da República

COMO FORMA DE PROTESTO, VÁRIOS MEMBROS DO MOVIMENTO "SOBREVIVER A PÃO E ÁGUA" VÃO ENTRAR EM GREVE DE FOME E VÃO PERNOITAR À FRENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

Madalena Costa


O setor da restauração está já há várias semanas a lutar e a pedir por apoios financeiros para os milhares de empresários e trabalhadores que, nesta segunda fase da pandemia, veem os seus negócios afetados e condicionados pelas medidas impostas.


Por vários pontos espalhados pelo país, o movimento “Sobreviver a Pão e Água”, que junta exatamente trabalhadores deste setor, organizou várias manifestações para se fazer ouvir junto do Governo. Esse momento aconteceu, esta sexta-feira, quando o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recebeu alguns membros do movimento – entre eles, Ljubomir Stanisic, após vários pedidos para tal acontecer.




Quando saíram do Palácio de São Bento, os membros do movimento “Sobreviver a Pão e Água” revelaram que vão fazer greve de fome, “por tempo indeterminado” e que vão acampar à frente da Assembleia da República.


O movimento “Sobreviver a Pão e Água” pede uma ação do Presidente da República junto da Assembleia da República, para que o parlamento intervenha.


Sem respostas ainda e como forma de protesto, alguns membros do movimento iniciam uma greve de fome, a partir desta sexta-feira, “em solidariedade por todos aqueles que, neste momento, não têm já o que comer", tal como a fotografia da SIC Notícias mostra.



"Pelos 43% de nós, empresas de restauração e similares, que ponderam avançar para a insolvência. Pelos 19% de nós, empresas de alojamento turístico, que ponderam fechar as portas. Pelos que ficaram pelo caminho. Pelos mais de 49 mil empregos perdidos no setor da restauração e hotelaria durante o terceiro trimestre de 2020. Por todos os que perderão o emprego, o sustento, a comida na mesa se as ajudas não chegarem já.”


Atualmente, o movimento “Sobreviver a Pão e Água” conta com milhares de pessoas de restaurantes, bares, discotecas, músicos, atores, organizadores de eventos, fornecedores, produtores e outros profissionais que exigem uma ação urgente.


  • Partilha:

Top