Cansados da pandemia, israelitas gritam no cimo de colinas para se sentirem livres

MARY KOGAN ORGANIZA CAMINHADAS ATÉ AO CIMO DE COLINAS PARA GRITAR CONTRA A PANDEMIA

Jéssica Santos


O teu humor está por um fio?

Tens mais dias de neura do que os previstos? Não te preocupes, não és único. Ao fim de quase um ano de pandemia, instabilidade e confinamento, não há ninguém que saía totalmente ileso desta realidade.


Afeta mais uns do que outros, é certo, mas o desejo pela liberdade, ausência de máscaras e regresso de abraços e beijos é geral. Sente-se e ouve-se. Pelo menos em Israel.

Mary Kogan decidiu organizar uma caminhada com dez pessoas até ao cimo de uma colina para juntos gritarem em busca de libertação emocional e para aliviar os efeitos do confinamento.



O grupo utiliza máscaras durante a caminhada e, quando todos chegam ao topo da colina, retiram-nas para gritar. Sobre os riscos para a saúde, Mary Kogan diz que todos no grupo já foram infetados e recuperaram da doença ou foram vacinados.


Israel iniciou o mês de fevereiro com um alívio das restrições do confinamento, que começou em dezembro. Os cabeleireiros foram reabertos, os clientes estão de volta às lojas e os passeios podem exceder um quilómetro de distância de casa.

Esta é ainda uma iniciativa que não pode ser posta em prática em Portugal, mas assim que nos for possível vamos todos juntos dar um grito (ou vários) de liberdade.

  • Partilha:

Top