Homem condenado a pagar 120 mil euros à mulher por não ajudar nas tarefas domésticas

NA CHINA, ENTROU EM VIGOR, EM JANEIRO DESTE ANO, UMA LEI QUE CONDENA, EM SITUAÇÃO DE DIVÓRCIO, AQUELES QUE NÃO ASSUMIRAM TAREFAS DOMÉSTICAS DURANTE A RELAÇÃO


Foram seis anos de casamento que chegaram ao fim. Enquanto casal, a relação não foi saudável. A mulher teve de deixar de trabalhar para cuidar dos filhos e da casa por falta de apoio do marido. Esta disparidade culminou num divórcio, que ainda teve de ser levado a tribunal.


O homem acabou condenado a pagar uma indemnização à mulher, no valor de 120 mil euros, por não ter assumido parte da responsabilidade das tarefas domésticas durante o casamento.

Esta é uma nova lei, que entrou em vigor na China, em janeiro deste ano, e que permite a um cônjuge pedir uma indemnização ao parceiro, em caso de divórcio, se tiver assumido maior responsabilidade pelas tarefas domésticas, cuidados das crianças, parentes ou idosos.



O objetivo é proteger os direitos das pessoas e valorizar o seu trabalho em casa. Porque quando falamos numa família, falamos numa equipa.


Nas redes sociais, o debate instalou-se, com algumas pessoas a criticarem o valor da indemnização por o considerarem baixo para seis anos de trabalho doméstico.


Baixo ou não, a mudança está a ser feita na China, num período em que os divórcios aumentaram exponencialmente e muito por culpa do confinamento, dizem os especialistas.


  • Partilha:

Top