Pais queriam chamar o filho de Vladimir Putin, mas foram impedidos

O CASAL VIU-SE IMPEDIDO PELO REGISTO CIVIL DA SUÉCIA DE COLOCAR O NOME DE VLADIMIR PUTIN AO FILHO


São meses e meses que se passam a pensar num nome que assente na perfeição ao bebé que vem a caminho. Alguns pais sabem-no de imediato e outros pensam um pouco mais no nome que, em muitos casos, é uma homenagem a um familiar ou é simplesmente algo de que gostam.


Ora, um casal sueco recebeu nos braços o seu filho e o nome que lhes veio à cabeça para lhe dar foi Vladimir Putin, o nome do presidente da Rússia. Tentaram então registar o filho com esse nome, dias depois do seu nascimento, no registo civil do país, mas o pedido foi-lhes negado.


Naquele país, de acordo com o “The Independent”, a lei não permite que os nomes próprios ofendam nem causem desconforto, assim como outros problemas à pessoa que o vai receber e o mesmo se aplica a adultos que queiram mudar de identidade.



Apesar deste impedimento, a Suécia conta com 1,4 mil pessoas no país com o nome de Vladimir Putin, mas a lei foi, entretanto, atualizada e deixou de ser permitido.


Entre os nomes rejeitados na Suécia, encontram-se llah, Q, Ford e Pilzner. Só que existem outros nomes igualmente estranhos que foram aceites, como Metallica e Google.


Perante a lei da Suécia, este casal, que vive na cidade de Laholm, vai ter agora de pensar num novo nome para dar ao filho.


  • Partilha:

Top