Chef Kiko resolve no Café da Manhã

Imagina-te a abrir o frigorífico. E nada! Nada do que lá está te inspira a fazer o que quer que seja.

Isso vai acabar. Vai acabar porque o Chef Kiko vai ajudar-te. À sexta feira, o Chef Kiko vem até ao Café da Manhã para te dar dicas fabulosas sobre o que podes fazer na cozinha quando achas que não tens nada de jeito.

Nos primeiros dias ele vai resolver os problemas culinários do Pedro Fernandes, do Nilton e da Mariana Alvim, e depois... é capaz de vir a meter a colherada na tua despensa ou mesmo no teu frigorífico!

Se não ouviste no rádio, ouve aqui em podcast.

Ingredientes Salada do Chef e Vinagrete

- Coração de alface
- 6/7 fatias de bacon
- Camarão
- Cebola roxa a gosto
- Rúcula a gosto
- Pinhões assados (opcional)
- Caju (opcional)

Ingredientes Vinagrete
- 1 colher de chá de gengibre
- 3 colheres de sopa de molho de soja
- 3 colheres de sopa de azeite
- 1 lima

Cortamos o coração da alface em quatro.
Juntamos bacon e camarão, previamente cozinhados no microondas.
Para cozinhar o bacon e o camarão no micro-ondas, colocamos um bocadinho de papel absorvente, uma fatia de bacon por cima e uma folha de papel absorvente a tapar o bacon.
De seguida, levamos ao microondas durante 45 segundos à temperatura máxima. O que vai acontecer é que o bacon vai cozinhar, o papel vai agarrar toda a gordura e quando o retiramos do microondas este vai ficar estaladiço. Repetimos o processo com mais cinco ou seis fatias. Se for necessário mais tempo no microondas, não há problema, o que pretendemos é que o bacon saia crocante.
Fazemos a mesma coisa para os camarões: colocamo-los num tupperware, tapamos com película aderente, temperando-os com um bocadinho de sal e de azeite (ao gosto de cada um). Tapamos bem o tupperware com a película e levamos ao microondas durante 3 minutos. O camarão vai ficar cozido.

Para o tempero da salada, ralamos uma colher de chá de gengibre, ou no microplane ou com uma faca (picando muito bem), três colheres de sopa de molho de soja, três colheres de sopa de azeite e o sumo de uma lima. Se tivermos o ralador microplane podemos ainda temperar com um bocadinho de raspas de lima.

Estendemos o coração de alface, as fatias de bacon, os camarões e para quem gostar de um bocadinho de cebola roxa e de rúcula, pode também acrescentar.
Podemos ainda adicionar pinhões assados ou cajus por cima. Por último, e só por último, colocamos o vinagrete que elaborámos anteriormente.
Se quisermos fazer o vinagrete em mais quantidade, podemos conservar no frigorífico e ir usando em várias saladas. Não precisamos de fazer o vinagrete ao momento, podemos fazer dez vezes mais quantidade de vinagrete e tê-lo sempre no frigorífico.

Wraps de Galinha com Pipocas de Caril

- 2 peitos de frango
- 1 lima
- 1 colher de café de sal
- Pimenta q.b.
- Espetos para espetadas
- Folhas de Wrap
Cortar o peito de frango aos cubinhos, com aproximadamente 2 por 2 centímetros. Temperamos com sumo de uma lima, uma colher de café de sal e um bocadinho de pimenta. De seguida, deixamos marinar o frango no frigorífico durante aproximadamente duas horas. Colocamos o espeto para a espetada em água, de modo a que quando levarmos ao forno, este não fique queimado. De seguida, colocamos os cubinhos de frango já marinado no espeto e levamos ao forno durante 15 minutos a 200ºC. De seguida, preparamos a lancheira, onde colocamos os wraps e uma tupperware com as espetadas. Na praia, abrimos uma folha de wrap e puxamos com o palito de peito de frango assado. Assim ficamos com um wrap com frango assado, evitando assim que este fique húmido.
Como alternativa às batatas fritas de acompanhamento, sugiro umas pipocas com caril:
- 2 colheres de sopa de óleo ou azeite, de preferência uma gordura neutra
- 1 chávena de café com milho
- Manteiga de caril
- Sal
Colocamos as duas colheres de sopa e a chávena de milho num recipiente, tapamos e levamos ao lume, até fazer o barulhinho habitual. No final, juntamos dois colheres de sopa de manteiga de caril. Para a manteiga de caril, usamos um pedaço de manteiga, um dente de alho muito bem picado e uma colher de café de caril. Envolvemos a manteiga toda, criando uma pasta. Quando as pipocas estiverem a estalar, adicionamos a manteiga. Nesta fase, a pipoca vai absorver o sabor da manteiga, terminando com um bocadinho de sal.

Salada com pérolas de tapioca

- 100g de tapioca cozida

- 100g de camarão cozido

- 3 colheres de azeite

- Sumo de meio limão

- Manjericão q.b.

- Vinagre q.b.

- Coentros q.b.

- 50g de tomate cereja

Muita atenção ao método como cozemos as pérolas de tapioca. Há muita gente que diz que precisamos de demolhá-las como se fosse um grão de feijão ou um grão de bico, por exemplo. Mas nada disso! Colocamos muita água, vamos imaginar, para 100 gramas de tapioca temos de pôr um litro de água. Não vale a pena temperar a água, não vale a pena pôr sal, nem azeite, nem nada. Basicamente, colocamos apenas água, e quando esta estiver a ferver, juntamos a tapioca. Deixamos que ela cozinhe mais ou menos 12 minutos, dependendo obviamente do tamanho da pérola de tapioca. Há umas pérolas mais pequeninas e há umas mais gordinhas. As mais gordinhas precisam de mais tempo de cozedura. Muito importante, depois de estar cozida, vamos lavar muito bem a tapioca e vamos colocar num tupperware. Se não fizermos nada, aquilo vai ficar literalmente uma argamassa. Então é muito importante que, quando colocamos num tupperware para conservar a tapioca depois de lavada, coloquemos um bocadinho de gordura, o azeite, para temperar. Mas a gordura não basta, temos de adicionar uma chávena de chá grande com água, porque a tapioca é muito gulosa e absorve.

Depois adicionamos o que quisermos. Neste caso, temos um bocadinho de camarões, um bocadinho de sumo de limão e um bocadinho de coentros e temos uma boa salada de tapioca. Quem não gosta de camarões, pode adicionar um bocadinho de cenoura e courgette salteadas misturadas com a tapioca. Melhor do que tudo, se cozermos a tapioca sem nenhuma direção, podemos adicionar um pouco de leite de coco, alguns restos de maçã e fazemos um puré com maçã. Juntamos com a tapioca e misturamos tudo. Assim temos duas receitas, uma de tapioca salgada, misturada com camarão, e uma de tapioca doce, misturada com leite de coco.

A tapioca é sempre uma opção saudável para fazermos uma salada.

Souflé de Peixe – 2 Pessoas

O que fazer com as sobras de peixe? Bem, feche-se na cozinha, com a porta e janela bem fechadas e vamos lá preparar um Souflé!
Vamos precisar de:
- 1 cebola picada
- 1 dente de alho picado
- 200g de peixe (o que tivermos de sobras, mais ou menos)
- 50g de manteiga
- 50g de farinha
- 250gr leite
- 4 ovos
Modo de Preparação:
Unte uma forma redonda com manteiga e farinha (repita duas vezes).
Descasque e pique a cebola e o dente de alho.
Leve ao lume um tacho com as 50g de manteiga, junte a cebola e o dente de alho e deixe refogar. Depois junte as 50g de farinha, mexendo sempre com a ajuda de uma vara de arames.
Coloque em lume brando e adicione as 250g de leite lentamente. Deixe cozinhar mexendo até ganhar consistência.
Adicione as sobras de peixe e retire do lume.
Separe as claras das gemas. Num recipiente à parte bata as 4 gemas e junte ao preparado anterior. Triture tudo com a ajuda de uma varinha mágica.
Por fim, bata as claras em castelo e envolva delicadamente o preparado (a uma temperatura mais baixa) . Verta para forma e leve ao forno pré-aquecido a 200ºc cerca de 20 minutos. Não abra o forno durante este tempo.
Retire do forno mas certifique-se de que não há diferenças de temperatura na cozinha.

Crepes

100g de farinha

2 ovos

1 gema

2,5 dl de leite

60g de manteiga

Misturar todos estes ingredientes com uma varinha mágica. Numa frigideira já aquecida, ir colocando o preparado dos crepes e deixar cozinhar 1 min de cada lado. Não há nada mais fácil!

Quanto ao recheio dos crepes, há uma série de opções para aproveitarmos o que temos lá em casa! Vamos imaginar que sobrou bolonhesa de ontem: recheamos o creme com o molho e carne picada, colocamos queijo por cima e levamos ao forno. Fica uma delícia!

Se têm sobras de legumes para aproveitar, a famosa receita Ratatouille dá-nos uma boa ideia! Juntamos cebola, alho, beringela, cenoura, tomate e outros legumes que tenham no frigorífico e deixamos a estufar. De seguida, recheamos os crepes, cobrimos com molho bechamel e queijo e levamos ao forno.

Numa ida à praia, podem também usar os crepes como base para os vossos snacks, tal como costumam fazer com o pão. Em vez de uma tosta mista, por exemplo, fazemos um crepe misto com queijo e fiambre. Uma outra ideia que os miúdos vão adorar é rechear os crepes com um pouco de salsicha, alface e tomate e fica uma espécie de “Hot Dog”. Podem também rechear os crepes com aquilo que mais gostam, colocando ovo cozido, atum... tudo o que for fresco para levar para a praia.

Dica para o molho béchamel caseiro - 50 de manteiga, 50 de farinha e uma chávena de chá de leite. Ir mexendo tudo num tacho até engrossar.

Spring Rolls

Muitas vezes, temos no frigorífico um mix de sobras de carnes do churrasco e não sabemos o que fazer com elas. Seja carne de burger, frango, borrego ou novilho... todas elas podem ser aproveitadas e misturadas nesta receita!

Vamos precisar de:

- 1 kg de carnes (o que tivermos de sobras, mais ou menos)

- 2 colheres de sopa de azeite

- 1 colher de sopa de manteiga

- 50g de gengibre picado

- 5 colheres de sopa de molho de soja

- 1 colher de café de óleo de sésamo

- 1 molho de coentros picado

- 1 molho de manjericão picado

- 200g de restos de arroz (o que tivermos de sobras)

- massa filo, massa brick ou massa de spring roll (à escolha)

Picamos muito bem as carnes com a ajuda de uma faca. De seguida, fazemos um refogado com o azeite e a manteiga. Acrescentamos a carne picada e deixamos ganhar cor. Adicionamos o gengibre para temperar e dar um toque asiático aos nossos Spring Rolls. Juntamos o molho de soja e o óleo de sésamo, mas cuidado para não deixar o molho de soja queimar. Pode acrescentar já fora do lume.

Misturamos tudo e adicionamos as ervas aromáticas – coentros e manjericão. Para conseguirmos uma consistência mais cremosa e que ligue todos os ingredientes, vamos triturar os restos de arroz. O arroz depois de triturado vai ficar com uma textura de massa, quase de creme. Envolvemos o arroz com a carne e misturamos tudo muito bem.

Vamos estender a massa escolhida – massa filo, massa brick ou massa de spring roll – e fazer retângulos para rechearmos com esta mistura. Fazemos uns rolinhos, que podem ter cerca de 7 cm ou um pouco mais, se preferir. No caso de ser massa filo, podemos pincelar primeiro com um pouco de azeite.

No final, se for massa de spring roll devemos fritar. Se for massa filo ou brick, levamos ao forno.

Ceviche Puro

O ceviche é um prato milenar peruano que era confecionado com peixe branco, cortado aos cubinhos. Antigamente era feito com tumba, um fruto entre o maracujá e a lima, que hoje em dia é difícil de encontrarmos.

Ingredientes ceviche:

- Peixe fresco cortado aos cubos (1x1cm)

- Cebola roxa picada

- Sumo de lima

- Aipo

- Gengibre q.b.

- Coentros q.b.

Ingredientes puré de batata doce:

- 2kg de Batata doce

- 400g Manteiga

O peixe é à escolha, sendo que deve ter alguma textura, uma vez que os peixes mais moles não aguentam o contato com a acidez proveniente da lima e desfazem-se. Para além da textura, o peixe tem de ser muito fresco. Normalmente é preparado numa cuba e com um bocadinho de gelo por baixo, mantendo o peixe sempre fresco. O peixe deve ser cortado em cubos de um centímetro por um centímetro.

A cebola roxa deve ser picada, ou laminada, e de seguida colocada em gelo de modo a perder a adstringência caraterística. Deixamos ficar em gelo durante, aproximadamente, uma hora e retiramos, podendo juntar um bocadinho de algas.

Tão importante como o peixe é o caldo que juntamos, o leite de tigre. Basicamente faz-se um caldo com as espinhas do peixe, cebola e aipo. Depois coamos o caldo, ficando apenas com o líquido. A magia do leite de tigre está em adicionar pedaços de peixe, gengibre, coentros e aipo. De seguida, trituramos tudo, passando a proteína que está no peixe para o caldo, daí a cor esbranquiçada.

Por útlimo, colocamos a lima sobre o peixe, que começará a mudar ligeiramente a cor. O ceviche está pronto a comer, devendo ser consumido mal está terminado.

Adicionalmente, pode ser incluído no ceviche puré de batata doce. Colocamos as batatas num recipiente e levamos ao forno com sal durante uma hora. Após concluído o tempo estipulado, tiramos a batata do forno e removemos a pele. Trituramos tudo e envolvemos com a manteiga.


Especial Santos Populares

Depois de uma noite de Santo António, há que aproveitar o que sobrou das churrascadas lá de casa! Seja sardinha ou carne, vamos transformar tudo em verdadeiras iguarias.

Escabeche de Sardinha

Temos as sardinhas conservadas no frigorífico, já assadas e temperadas, por isso falta só o molho para o escabeche. Juntamos num tacho três chávenas de água, 2 chávenas de vinagre e 1 chávena de açúcar e levamos ao lume. Vamos envolvendo tudo e, já no final, colocamos alecrim para fazer uma espécie de infusão. Quando esta mistura estiver totalmente fria, vertemos sobre as sardinhas. A sardinha vai absorver este sabor, com um toque de acidez do vinagre.

Roupa Velha de Carne

Roupa Velha é, por excelência, um dos pratos que mais aproveita as sobras do dia anterior. Neste caso, vamos aproveitar as carnes, que podem ser febras ou carne de churrasco. Fazemos um refogado com azeite, alho e 2 cebolas picadas. Juntamos a carne também já picada e deixamos cozinhar. De seguida, vamos fazer um truque para tornar a Roupa Velha mais cremosa: para cada 5 ovos, adicionamos 5 gemas. Batemos bem estes ovos com as gemas e juntamos salsa picada. No último minuto, acrescentamos ao preparado da carne os ovos e batata palha. Envolvemos tudo muito bem e terminamos com raspas de lima, que dão um toque especial!

Salada de Frango com Laranja e Amêndoas

Muitas vezes, temos lá em casa sobras de frango assado e não sabemos o que fazer para não desperdiçar. Esta salada é uma forma muito simples de aproveitar a carne e de preparar algo fresco para os dias de maior calor.

Começamos pelo tempero de vinagrete. Para fazer um vinagrete, devemos usar sempre uma proporção de 3 de azeite para 1 de vinagre. Nesta receita, vamos usar 3 colheres de azeite para 1 de sumo de laranja, em vez do vinagre. Misturamos bem enquanto preparamos a base da salada com folhas de alface. De seguida, juntamos o frango desfiado, envolvemos com o vinagrete e colocamos por cima amêndoas salteadas. Simples e eficaz!

Galinha Vietnamita

Vamos fazer um refogado com alho francês picado e um pouco de óleo ou óleo de coco. Acrescentamos cebola picada, alho, gengibre e deixamos a refogar. De seguida, juntamos estrela de anis, um pau de canela, frango desfiado, 1 chávena de café de molho de soja (por exemplo, para 500g de frango), 1 chávena de café de molho de peixe e meia chávena de café de açúcar. Misturamos tudo, o frango vai ganhando o sabor e não é necessário acrescentar sal. Retiramos do lume após cerca de 20 minutos, juntamos amendoins, coentros picados e sumo de 1 lima.

O molho de peixe é um ingrediente que poucos utilizam, mas já se vende em muitos locais. Tem um cheiro pouco agradável, mas que desaparece totalmente depois de estar cozinhado com os restantes ingredientes. Dá um toque especial a esta receita e torna este molho viciante!

Croque-Monsieur de Banana

O tradicional Croque-Monsieur é basicamente uma "tosta-mista" com queijo, fiambre e que é gratinada no forno com béchamel e queijo. Neste caso, vamos usar esta receita para aproveitarmos as bananas demasiado maduras que ficam lá em casa e que não podemos desperdiçar!

Começamos por descascar as bananas e esmagamos, fazendo uma espécie de puré. Colocamos a banana desta forma numa fatia de pão, acrescentamos um pouco de leite condensado e cobrimos com a outra fatia de pão. Pincelamos o pão com manteiga derreita dos dois lados e colocamos numa frigideira. Deixamos tostar durante mais ou menos 2 minutos de cada lado, sempre com muita manteiga para ficar bem tostada. Simples e uma delícia!

Crumble de Banana

Esta é uma opção que funciona sempre muito bem com bananas e é muito fácil de fazer.

Podemos “temperar” a banana com canela, passas e juntar maçãs cortadas em pedaços (usamos a mesma quantidade de bananas e de maçãs). Para conseguirmos a textura de crumble, vamos usar farinha, açúcar e manteiga. Juntamos 1 chávena de chá de farinha e 1 chávena de chá de açúcar. Sem pesar, vamos juntando manteiga aos quadrados (a manteiga deve ser o dobro da quantidade da farinha e do açúcar) e vamos misturando tudo com as mãos. Esta mistura está no ponto quando já estiver a esfarelar, mas ao mesmo tempo tem de dar para fazer uma bola compacta com as mãos. De seguida, colocamos as frutas no fundo de uma travessa e cobrimos tudo com esta mistura. Levamos ao forno durante cerca de 30 minutos e, no final, acrescentamos uma rapas de laranja ou de limão. Fica uma maravilha com um gelado de baunilha a acompanhar!

Chutney de Pêra Rocha

A pêra é das frutas que os portugueses mais gostam, sobretudo a Pêra Rocha ali do Oeste, mas a verdade é que é também das frutas mais desperdiçadas lá em casa. Amadurece rapidamente e ganha uma textura que não agrada a todos. Para aproveitarmos essas pêras demasiado maduras, vamos então dar um saltinho à Índia com uma receita muito popular – Chutney. Diz-se que cada família na Índia tem a sua própria receita, dada a quantidade e variedade de Chutneys que se faz por lá.

O Chutney é um molho com uma textura parecida com a da compota e com um sabor agridoce. É feito com frutas e especiarias e nós vamos usar a Pêra Rocha como base da receita. Não desperdiçamos a fruta e temos assim um óptimo molho para acompanhar pratos de carne ou de peixe.


Ingredientes:

- 500g de pêras, descascadas cortadas em pedaços grandes

- 200g de tomates maduros sem casca, sem sementes e picados

- 60g de cebola picada

- 2 colheres de sopa de raspas de laranja

- sumo de 1 laranja

- 150g de açúcar mascavado

- 1 colher de chá de coentros

- 1/4 de colher de chá de noz moscada

- 1/4 de colher de chá de pimenta

- 15g de gengibre fresco picado

- 150ml de vinagre de vinho branco


Preparação:

- Misturar todos os ingredientes numa panela e deixar ferver em lume baixo durante 3 horas, mexendo de vez em quando.

- No final, colocar o Chutney num frasco hermético e deixar arrefecer antes de guardar no frigorífico.

O Chutney pode ser conservado no frigorífico durante algumas semanas

Clafoutis de Cereja

Está a chegar a época das cerejas por isso vamos ensinar a fazer uma receita francesa, a dos clafoutis. Tradicionalmente, os clafoutis são feitos com cereja marinada em Kirsch, uma aguardante. Nós não precisamos de marinar mas, se quisermos, podemos utilizar um pouco de aguardente velho, outro licor ou até mesmo uísque e adicionar açúcar deixando repousar no frio durante cerca de duas horas. Quando temos frutas que já não se encontram no ponto da estética perfeito mas não as queremos deitar fora podemos mariná-las, temperar uma tarteira com uma colher de açúcar e uma de manteiga e levar tudo ao forno durante 5 minutos. Durante este tempo, preparamos a massa que irá servir de base com os seguintes ingredientes:

- 120g de farinha

- 1 colher de chá de fermento

- 6 ovos

- 600ml de leite

De seguida, batemos a mistura de todos estes ingredientes até criar uma pasta homogénea e, logo que as cerejas saiam do forno, vertemos esta base da massa sob as cerejas. Tornamos a colocar a mistura no forno durante 30 minutos e, quando o tempo terminar, o clafouti está pronto. A consistência deve ser semelhante à de um pudim flan, um pouco esponjosa. Se quisermos, podemos adicionar por cima açúcar em pó ou até mesmo raspas de fruta, dando um toque de frescura ao clafoutis.

Esta receita pode ser feita com cerejas mas também com qualquer outra fruta ou até mesmo com alimentos salgados, sendo que nesse caso, não deve ser colocado o açúcar.

Abacate

O abacate é aquele ingrediente que fica sempre muito sexy nas tostas com salmão fumado, nas saladas e em qualquer Brunch, mas é mutias vezes desperdiçado em casa quando já não está bem no ponto. Vamos combater isso!

Primeiro, há que saber escolher o abacate. A técnica de apalpar nunca falha, mas podem também confirmar o ponto através daquele “pézinho” do topo, que dá para retirar. Retiram e se a cor nesse local for verde, quer dizer que ainda não está maduro. Podem envolver em jornal e guardar num armário para amadurecer mais rapidamente. Se a cor for amarela, quer dizer que está no ponto. Se a cor for acastanhada, quer dizer que já está demasiado passado e escuro.

O desperdício acontece precisamente quando já não está tão “bonito”. Podemos então aproveitar esses abacates para fazer uma mousse!

Mousse de Abacate e Cacau

- 2 abacates grandes, descascados e esmagados

- 3 a 4 colheres de sopa de mel

- 1 colher de chá de extrato de baunilha

- 50g de cacau em pó

Começamos por colocar os abacates num robot de cozinha e trituramos até ficar numa textura suave. De seguida, acrescentamos o mel, o extrato de baunilha e o cacau e misturamos novamente até ficar tudo bem envolvido. Podem ir provando e podem acrescentar mais mel para ficar mais ao vosso gosto. Colocamos a mousse em copos de vidro ou tigelas e levamos ao frigorífico durante 1 a 2 horas para ganhar consistência. Simples saudável!

Quiche com “tudo”

A quiche é uma excelente opção para utilizarmos vários ingredientes que sobram no frigorífico lá de casa. Muitas vezes, acabamos por desperdiçar legumes, queijo, fiambre... Tudo isto pode ser transformado em recheio de uma quiche!

Para quem já tiver a massa folhada ou massa quebrada, deve colocar na tarteira e levar ao forno antes de a rechear. Deixam no forno cerca de 15 minutos e depois retiram para juntarem os restantes ingredientes. Para fazermos a massa, juntamos 100g de manteiga com 100g de farinha. De seguida, num copo alto juntamos uma gema com 2 dedos de água e temperamos com sal. Batemos esta mistura, que vai ser adicionada à mistura de manteiga e farinha. Envolvemos lentamente estas duas misturas e trabalhamos a massa com as mãos, não com uma máquina. Vamos amassando e sabemos que a massa está no ponto quando as mãos já se soltam da mistura e não ficam ”pegajosas”.

Se tivermos tempo, envolvemos esta massa em película aderente e deixamos repousar durante 30 minutos. Se os convidados já estiverem para chegar e tivermos de acelerar o processo, estendemos logo a massa na tarteira e levamos ao forno durante 10 a 15 minutos a 160º para ficar um pouco crocante e estaladiça.

Para o recheio, vamos adicionar a cada ovo 100g de natas. Portanto, se normalmente utilizarmos 4 a 5 ovos, dá então 400 a 500g de natas. Depois, acrescentamos os ingredientes que quisermos: bacon, as sobras de legumes, etc. Como diz o Pedro Fernandes, vale tudo! Eu não recomendo colocar queijo no recheio, recomendo sempre colocar no final por cima. De seguida, levamos ao forno durante 20 minutos a 160º.

Para quem prefere substituir as natas, há um plano B: podem colocar essa quantidade de leite, mas devem acrescentar mais 1 ovo para ganhar mais consistência.

Bacalhau da Mamãe

3 colheres de sopa de azeite
3 cebolas grandes laminadas
3 dentes de alho picados
1 colher de sopa de orégãos
2 colheres de sopa de manteiga
4 colheres de sopa de farinha
2 chávenas e 1/2 de chá de leite
2 gemas de ovo
Sal a gosto
3 colheres de sopa de queijo da ilha
1 colher de sopa de mostarda de Dijon
500g de bacalhau
200g de batata palha
Coloque a cebola e o alho em azeite e deixe cozinhar lentamente, enquanto prepara o molho com que vai cobrir este delicioso bacalhau. Quando a cebola estiver cozinhada, polvilhe com os orégãos.
Prepare o molho: derreta a manteiga numa panela, junte a farinha e deixe cozinhar durante 3 minutos, mexendo sempre. Vá juntando o leite aos poucos e mexa com uma vara de arames. Deixe ganhar consistência. Passados 5 minutos, retire do lume e junte as gemas, o sal, o queijo da ilha e a mostarda Dijon.
Coza depois o bacalhau com uma técnica muito simples! Coloque água a ferver, com dois dentes de alho, 1 bocadinho de louro e azeite. Quando a água começar a ferver, desligue o lume e coloque o bacalhau lá dentro, deixando-o cozinhar lentamente. Passados 15 minutos, os lombos estão cozidos. Retire e desfie o bacalhau.
De seguida, junte a cebolada, o bacalhau, o molho e a batata palha numa tigela. Envolva tudo muito bem, tendo atenção para que fique cremoso. Coloque a mistura numa travessa, acrescente um pouco de queijo da ilha ralado por cima e leve ao forno para gratinar durante 15 minutos a 180ºC.

Cabrito Marinado com Laranja

Uma sugestão diferente para o Cabrito da Páscoa! Atenção, temos de começar a preparar esta receita no sábado para deixar a marinar até ao almoço de domingo.

Para 3500gr de Cabrito:

- Alho q.b.

- Gengibre q.b.

- 600ml de Sumo de Laranja

- Sal Grosso q.b.

- 5gr de Pimenta Preta Moída

- Açúcar q.b.

- 15gr de Alecrim

- 1gr de Louro

- 400ml de Azeite

Peça ao talhante para cortar o cabrito em pedaços pequenos (mais ou menos todos na mesma dimensão). De seguida, vamos temperar o cabrito com bastante alho e gengibre (na mesma quantidade), regar com sumo de laranja, acrescentar sal e pimenta, um pouco de açúcar, alecrim, louro e azeite.

Deixamos o cabrito com esta marinada a repousar no frigorífico durante 24 horas. No domingo, cerca de 2 horas antes do almoço, vamos pôr o cabrito no forno. Usamos uma travessa/tabuleiro com o cabrito e a marinada e levamos ao forno a 180º. Entretanto, cozemos a batata sem pele antes de a levar ao forno. É importante não colocar a batata crua, deixem cozinhar para depois ficar crocante. Colocamos a batata cozida num tabuleiro com um fio de azeite e um pouco de alecrim e levamos ao forno (na parte de cima) durante 40 minutos.

Assim, temos na parte de cima do forno as batatas e na parte de baixo o cabrito com a marinada. O cabrito deve cozinhar no forno durante 1h30, mas podem retirar um pouco do excesso do sumo de laranja, se quiserem. De seguida, passamos as batatas para o tabuleiro do cabrito para que absorvam todos os sabores e aumentamos a temperatura do forno para 220º. Deixamos ficar apenas mais 30 minutos para que a pele do cabrito e as batatas fiquem crocantes.

Bread Pudding

Muitas vezes, não sabemos o que fazer ao pão que sobra lá em casa e que acabamos por não comer. Como desperdiçar não é opção, sugiro-vos uma receita doce muito simples e que dá uma “nova” vida ao pão dos dias anteriores.

Vamos precisar de:

- 6 fatias de pão “seco”

- 1 chávena de leite

- 2 colheres de sopa de manteiga

- 4 ovos

- 4 colheres de sopa de açúcar

- 2 colheres de sopa de passas (para quem gostar)

Partimos o pão em pedaços com as mãos, batemos os ovos com o açúcar e juntamos o leite e a manteiga (previamente derretida). Cobrimos o pão com esta mistura, de forma a ficar “empapado”. Acrescentamos as passas e, para quem gostar, podemos pôr um pocuo de canela. Levamos de seguida ao forno numa travessa e deixamos durante 50 minutos a 180º. Quando retirarmos do forno, ainda quente, podemos servir com uma bola de gelado!

Romesco

Esta receita típica da Catalunha é uma óptima opção salgada para usarmos as sobras do pão quando não sabemos o que fazer com elas.

Precisamos de:

- 4 fatias de pão seco

- 6 dentes de alho

- 3 tomates

- 2 colheres de sopa de amêndoas

- 2 colheres de sopa de avelãs

- 1 pimento vermelho

- Sal e azeite q.b.

Partimos o pão em pedaços num tabuleiro, acrescentamos os tomates cortados, os dentes de alho, o pimento vermelho cortado, as amêndoas, as avelãs e temperamos com um pouco de azeite e sal. Vai ao forno durante 30min a 180º e, depois de retirarmos, trituramos tudo para ficarmos com a textura de puré.

A gastronomia escandinava tem uma técnica de conservação de ingredientes muito útil, que ajuda a poupar e a preservar o alimento durante um grande período de tempo. Estou a falar do Gravlax de Salmão, mas apesar do nome difícil... é muito simples!

Gravlax de Salmão

O objetivo é retirarmos toda a parte de gordura e água para depois garantirmos a conservação do alimento. Neste caso, temos um lombo de salmão (ou filete) e vamos cobrir o lombo com uma mistura de sal e açúcar (por exemplo, para 1kg de sal acrescentamos meio kg de açúcar), com raspa de lima, raspa de laranja e podemos juntar as especiarias que mais gostamos: sementes de coentros, funcho ou endro, mas também pode ser só um pouco de Hortelã da Ribeira.

Atenção, não vamos colocar logo esta mistura em cima do lombo. Primeiro, vamos cobrir o salmão com um pouco de gin. Só depois é que acrescentamos a mistura e levamos ao frigorífico, deixando conservar durante 24 a 36 horas. Quando retiramos, lavamos bem o salmão para retirar todo o sal. Vão reparar que o tamanho do salmão é menor (porque a gordura saiu) e a cor é mais homogénea. Depois deste processo, o salmão pode aguentar até 6 meses no frigorífico. Podemos usar como ingrediente em tudo, seja numa salada, num prato quente como uma massa ou com ovos mexidos de manhã. É super versátil e muito prático!

Este processo também pode ser usado com Magret de Pato, por exemplo. Em vez de o cozinharmos, vamos fazer o mesmo passo a passo, mas vamos reduzir a quantidade de açúcar: para 1kg de sal vamos usar apenas 10% de açúcar. Deixamos 24 a 36h no frigorífico, retiramos e lavamos bem e está pronto a usar.

A quinoa é um dos alimentos mais ricos em nutrientes e um dos mais versáteis. Proveniente do Peru, dá para sopas, saladas, risotto (em vez de usarmos o arroz, fazemos um quinoto) e até para sobremesas. Deixo-vos algumas ideias para usarem mais este ingrediente lá em casa!

Sobremesa - Cremoso de Quinoa com Morangos e Redução de Vinagre Balsâmico

Cozemos a quinoa em água durante cerca de 7 a 8 minutos. De seguida, escorremos, aquecemos um pouco de leite, batemos as gemas de alguns ovos com açúcar e vamos lentamente envolvendo tudo para o ovo não coagular. A quinoa doce vai ficar assim com uma textura cremosa. Acrescentamos os morangos por cima e preparamos a redução de vinagre balsâmico. Numa frigideira, levamos ao lume vinagre balsâmico durante 30 a 45 minutos. O vinagre e a água vão evaporar e vamos ter um concentrado mais denso, com uma mistura do sabor ácido com o sabor doce do vinagre. Juntamos esta redução à quinoa com os morangos e temos uma sobremesa daquelas que surpreende!

Salada de Quinoa com Mozzarella

A quinoa é um óptimo complemento a uma salada. Cozemos em água durante 7 minutos e misturamos com a mozzarella e com um toque de manjericão. Para quem preferir, uma salada de quinoa com salmão e queijo fresco também é uma excelente opção! Basicamente, a quinoa fica bem em qualquer salada. Pode ser numa onda mais portuguesa (com tomate), mais grega (com queijo feta) ou mais italiana (com mozzarella). É só testarem com criatividade!

Quinoto de Marisco

Cozemos a quinoa em água durante 7 minutos. Fazemos de seguida um refogado com alho e cebola e acrescentamos um caldo de marisco. Quando juntamos a quinoa, e para dar mais cremosidade, adicionamos dois ingredientes que não podem faltar: manteiga e mascarpone. No final, juntamos um pouco de queijo. No caso de quinoto de marisco, não devemos juntar queijo parmesão. O parmesão é ideal para quinoto de cogumelos.

Maionese

Há muitas pessoas que não acertam com a maionese caseira, mas o método é muito simples! Depois de acertarmos com a base inicial, podemos ir acrescentando outros ingredientes para conseguirmos vários sabores diferentes.

Começamos por pegar num copo alto (daqueles próprios para triturar os alimentos) e acrescentamos óleo, um ovo com gema e clara e um pouco de sal e pimenta. Para um ovo, adicionamos 1 chávena de chá de óleo. De seguida, trituramos com a varinha mágica na velocidade mínima. Atenção, devemos colocar a varinha mágica até ao fundo do copo, começar a triturar no fundo e depois ir subindo muito lentamente pelo copo. Esta dica não pode falhar! Se a maionese começar a deslaçar, acrescentamos umas gotas de água para ajudar a ficar mais homogénea.

Maionese de Alho e Coentros

À mistura da maionese normal, vamos acrescentar logo no início 2 dentes de alho e 1 colher de coentros. Não é preciso picar o alho, a varinha vai triturar e unificar os ingredientes todos. Devem seguir sempre o método de começar a triturar no fundo e ir subindo lentamente com a varinha mágica.

Maionese de Gengibre e Lima

Esta maionese é das minhas preferidas! O gengibre dá aquele toque especial que pode fazer a diferença em muitos pratos. Acrescentamos à mistura inicial gengibre (não é preciso ser picado) e sumo de 1 lima. De seguida, seguimos o mesmo processo para triturar.

Maionese de Laranja e Pimenta Rosa

Esta maionese é a mais invulgar, mas conquista logo! Adicionamos o sumo de meia laranja e um pouco de pimenta rosa à mistura inicial.

Atenção, estas maioneses caseiras não deve ser armazenadas por mais de 24h no frigorífico.

Dicas para fazer um bom Tártaro:

O Tártaro pode ser de carne, de peixe ou até de legumes. Podem adaptar ao vosso gosto, mas há uma regra importante que devem seguir sempre!
Regra nº 1 - Quando fazemos um bife tártaro de carne, devemos picar a carne com uma faca e não num robot de cozinha. A carne tem de estar muito fresca e deve ser cortada em cubinhos muito pequenos. É importante picarmos "à mão" para mantermos a textura da carne.

Tártaro de Carne:

Para além do sabor fresco da carne crua, vamos acrescentar alguns ingredientes para criar um equilíbrio agradável. Devemos juntar os seguintes ingredientes muito bem picados: cebola roxa, cornichons e alcaparras. Acrescentamos também um pouco de molho inglês, um pouco de ketchup e o cebolinho, uma erva delicada.

Tártaro de Peixe:

Este tártaro é mais delicado, por isso vamos temperar com um bocadinho de soja, com um pouco de óleo de sésamo e com alho francês muito bem picado.

Tártaro de Beterraba com Avelã:

A cor deste tártaro dá para enganar aqueles mais distraídos, que vão achar que passa bem por tártaro de carne. Cozemos a beterraba, picamos com uma faca e misturamos com avelãs picadas. Acrescentamos um pouco de cebola roxa, cebolinho e acompanhamos com iogurte natural. Podemos dar um toque especial com um pouco de azeite e flor de sal. Fica óptimo!

CASCAS DE ANANÁS

Coloquem a casca de ananás dentro da liquidificadora, juntem um bocadinho de manjericão, um bocadinho de gengibre e umas pedras de gelo e água. Triturem tudo e passem por um coador e temos nem mais nem menos do que um ótimo batido de ananas. A partir de hoje não quero cascas de ananás no lixo lá de casa!

CASCAS DE BATATA

Quando descascarem as batatas, descasquem a pele com um bocadinho de batata (para as cascas ficarem mais saborosas!). De seguida, coloquem as cascas em água com gelo para ficarem com alguma consistência. Por fim, fritem as cascas em óleo bem quente.


CASCAS DE CAMARÃO

Façam um pequeno refogado com um bocadinho de alho, gengibre e caril. De seguida juntem as cabeças/cascas de camarão e leite de coco e num recipiente próprio e levem ao forno a assar durante mais ou menos 30 minutos. Retirem do forno, passem pelo coador, e…temos uma Sopa de Camarão e Coco! No final podem acrescentar uns coentros e uns amendoins.

Menu para um jantar dos encalhados

(ou quando queremos surpreender alguém sem grandes complicações na cozinha)

Entrada

Ovo de Codorniz com Ricotta

Colocamos água a ferver com um bocadinho de vinagre e sal. Quando a água já estiver a ferver, separamos bem os ovos da embalagem com muito cuidado (muitas vezes estão agarrados ao plástico) e colocamos a cozer durante 1:40 min. A clara vai coagular e a gema vai ficar cremosa e não muito seca. Para a pasta de ricotta, juntamos ricotta com um pouco de azeite, alho e manjericão (ou a erva que gostarem mais). Acompanhamos tudo com uma flute de espumante ou sangria de espumante com frutos vermelhos.

Prato Principal

Tártaro de Salmão

Compramos 300g de salmão sem pele e sem espinhas. Picamos bem o salmão, juntamos um bocadinho de raspa de limão ou raspa de lima, descascamos um pedaço de gengibre e ralamos um pouco. Temperamos com molho de soja e temos assim o nosso tártaro. A soja é o sal e o gengibre é o picante. Servimos com uma salada de espinafres temperados com azeite e limão. O tempero deve ser sempre feito numa proporção de 3 para 1: 3 de azeite e 1 de vinagre.

Sobremesa

Morangos com Chantilly Picante

Batemos as claras, incorporamos bem o açúcar e acrescentamos o toque especial: gengibre ralado. Podem também acrescentar aos morangos hortelã e um pouco de vinho do Porto. Fica uma sobremesa deliciosa com o toque picante do gengibre no chantilly!

Hambúrguer de Alheira

Quem é que não gosta de alheira e de um bom hambúrguer? Nem todos os Chefs gostam de o dizer, mas eu sou fã de um bom hambúrguer. E nada melhor do que misturar a nossa querida alheira num bom pão, como por exemplo o bolo lêvedo que dá um toque ligeiramente adocicado e que fica incrível!

Começamos por torrar o bolo lêvedo e, em vez de barrarmos com manteiga normal, vamos fazer uma manteiga de chouriço. Derretemos a manteiga, cortamos o chouriço aos cubinhos, trituramos com a varinha mágica e envolvemos o chouriço triturado com a manteiga. Esta manteiga pode até ficar no frigorífico e ser usada em várias ocasiões, como por exemplo para saltear uma massa ou para fazer um bife. Neste caso, serve para barrar o bolo lêvedo torrado.

De seguida, retiramos a tripa da alheira, fazemos uma bola e espalmamos para ficar com o formato de hambúrguer. Adicionamos um fio de azeite numa frigideira e tostamos o hambúrguer de alheira durante cerca de 2 minutos de cada lado. Colocamos em cima do bolo e da manteiga de chouriço e acrescentamos grelos cozidos. Cozemos os grelos em água a ferver durante 2 minutos, retiramos e passamos em água fria com gelo. Todos os legumes devem passar por este processo de água quente e água fria para manterem a clorofila. Picamos os grelos, colocamos por cima do hambúrguer e acrescentamos um bom ovo estrelado. Esta parte do ovo é opcional, mas altamente recomendável!

Temos assim um bolo lêvedo bem torrado, barrado com manteiga de chouriço, com um hambúrguer de alheira, grelos e um ovo estrelado. Podem ainda colocar mais uma camada de bolo lêvedo barrado com a manteiga. Abre o apetite, não abre? Acompanhem com um bom vinho do Douro!

Um toque mexicano que surpreende: acrescentar um bocadinho de malagueta picada à fruta. Atenção, devemos tirar as sementes antes de picar a malagueta, porque o que queremos é o sabor e não apenas a intensidade do picante. Sempre sem sementes! O toque picante fica uma delícia, sobretudo com manga!

- Frutos Secos

Saltear amendoins, cajus ou avelãs numa frigideira (sem acrescentar qualquer gordura) e deixar os frutos secos soltarem a sua própria gordura. Vão tostar um pouco e ganhar cor. Quando retiramos da frigideira, ficam crocantes e aromáticos.

- Calda de Gengibre e Erva-Príncipe

Quando a salada não tem muito sabor e as frutas não estão no ponto, esta calda dá uma óptima ajuda! Aquecer a mesma quantidade de água e de açúcar, aromatizar com gengibre, erva-príncipe e até hortelã. Quando a calda estiver fria, vertemos sobre a salada.

- Laranja e Vinho do Porto

Aquela mistura irresistível para uma Salada de Fruta com classe! E deliciosa, claro.


Quesadillas

Os mexicanos colocam o mundo inteiro dentro das tortilhas e nós também podemos fazê-lo!

Quesadilla fria:

Barrar uma tortilha com requeijão (também podemos usar ricota), acrescentar brócolos, tomate seco, manjericão, um fio de azeite e cobrir com outra tortilha.

Sim, é assim tão fácil!

Quesadilla quente:

Saltear beringela numa frigideira, acrescentar queijo das ilhas ralado (S. Jorge ou S. Miguel) e temperar com alho e azeite. Colocar entre duas tortilhas, levar ao lume numa frigideira, tapar e deixar cozinhar 1 minuto de cada lado, mais ou menos. O queijo começa a derreter e a tortilha fica mais tostada.

Dica: As tortilhas são óptimas para motivar os miúdos lá em casa a comerem legumes. Pode colocar um bocadinho de queijo, legumes e temperar com um bocadinho de coentros e salsa.

7 dicas para melhorar as Sopas

- Croutons

Não são uns croutons banais! Para dar um toque especial à sopa, podemos temperar primeiro os croutons com as especiarias que mais gostamos. Quando estivermos a saltear os croutons com manteiga ou azeite, acrescentamos as especiarias ou ervas aromáticas. Sopa com croutons aromatizados conquista logo!

- Queijo

Para os amantes de queijo, podem acrescentar à sopa já feita o queijo que mais gostam para variar um pouco nos sabores. Ricota, queijo fresco, requeijão ou, até, Queijo da Serra para uma sopa mais "robusta".


- Pipocas

Os miúdos adoram pipocas e pode ser uma motivação para comerem mais vezes a sopa! Muito simples: acrescentar as pipocas à sopa já feita.

- Massa Folhada

Servimos a sopa numa tigela que possa ir ao forno, cobrimos com massa folhada e levamos ao forno. No final, quando partimos a massa, cai na sopa e dá um toque diferente ao estilo de sopa francesa tradicional.

- Frutos Secos

Em vez das tradicionais amêndoas, podemos acrescentar cajus ou avelãs. Dá um sabor óptimo à sopa e é muito nutritivo.

- Enchidos

Assim como acrescentamos chouriço ao caldo verde, podemos acrescentar outro tipo de enchidos às sopas. Por exemplo, a uma sopa de espinafres, podemos acrescentar umas bolas de alheira. Podem ser também de farinheira ou morcela. A sopa que sobra lá em casa fica logo diferente com um pouco de natas, bolas de alheira e batata palha.

- Azeite com Sabor

Há azeites óptimos que melhoram qualquer sopa já depois de estar feita. Azeite de Alecrim, Azeite de Trufa ou Azeite de Óregãos, sobretudo em sopas de legumes ou de cogumelos.

- Beringela

Salteamos alho francês, cebola e alho. Quando estiver bem salteado, acrescentamos vinho branco, que vai evaporar. Mal o vinho evapore, juntamos a beringela numa medida de 3x mais do que os outros ingredientes. Cobrimos com água e deixamos cozinhar durante, mais ou menos, 20 minutos. Acrescentamos de seguida um pouco de natas, sal, pimenta e triturar tudo. Para finalizar, adicionamos amêndoas e um fio de azeite de trufa.

Para todos os que gostam de receber os amigos e a família em casa, há receitas muito simples e rápidas para prepararem um pequeno aperitivo de boas-vindas. Quando digo simples e rápidas é porque são mesmo num instantinho!

Dip de Tremoço com Cerveja Preta

650g de tremoço

1 dente de alho

200ml de cerveja preta (1 Mini)

Sal

Pimenta preta a gosto

Triturar tudo com uma varinha mágica até ficar uma pasta homogénea e servir com tostas.

Mais fácil e delicioso... não há!


Dip de Salmão Fumado com Requeijão e Laranja

250g de salmão

100g de requeijão

Sumo de 1 laranja

Sal

Pimenta

Temperar o salmão com as raspas e o sumo de laranja e de seguida triturar tudo até obter a pasta homogénea.

É uma forma diferente de servirmos o salmão fumado em aperitivo!


Dip de Chouriço com Espinafres

1 Chouriço às rodelas

1/2 Cebola cortada em cubos

1 dente de alho

Espinafres

100g de requeijão

Saltear tudo com 2 colheres de sopa de azeite durante 5 a 10 minutos. Triturar com uma varinha mágica, juntando os espinafres, o requeijão e 2 chávenas de café de água. Ficamos assim com a pasta idela para servir em tostas e com ingredientes simples do dia a dia!

Caril

Mistura de especiarias:

A palavra Caril não existe na Índia, existem sim as Masalas - mistura de especiarias. E esta mistura que conhecemos como caril leva duas especiarias como base: Açafrão-da-índia e Cominhos. Se misturarmos estas duas especiarias em casa, temos a base do caril feita. 80%, vá!

Podemos juntar a esta mistura uns pózinhos para abrilhantar o caril de acordo com o que gostar mais. Pode acrescentar mais ou menos pimenta, pode juntar gengibre e alho em pó... No fundo, podemos ser criativos e personalizar esta mistura.

Para fazermos a base, juntamos Açafrão-da-Índia e Cominhos na mesma quantidade, metade dessa quantidade de Sementes de Coentros (altamente aromáticas e combinam bem com carne e peixe), Pimenta Preta a gosto, Pimenta da Jamaica (que são grãos maiores e mais aromáticos) e Pimenta Caiena a gosto.

Esmagamos tudo no almofariz com a ajuda do pilão e misturamos bem.

Receita:

Para fazer o caril, devemos usar uma gordura neutra, como óleo de coco ou óleo de amendoim em vez de manteiga ou azeite. É fundamental acrescentarmos a mistura de especiarias logo no início! Portanto, juntamos as especiarias ao óleo e deixamos fritar durante 15 segundos. Só depois é que vamos acrescentando os ingredientes.

Por exemplo, para Caril de Camarão com Maçã Verde e Beringela: acrescentamos à mistura maçã verde, beringela, gengibre e alho. O gengibre e o alho deve ser sempre utilizados na mesma quantidade para termos equilíbrio. Acrescentamos os líquidos, como caldo de camarão ou leite de coco. Juntamos os camarões apenas no final, porque cozinham em 1 minuto. Por último, adicionamos coentros para dar mais aroma.

Dica: se não tivermos leite de coco, podemos usar frutos secos que temos lá em casa (cajus, amendoins ou pistáchios) para fazer um líquido com esse sabor. Juntamos os frutos secos com leite ou água e trituramos. Podemos coar e usar só o líquido ou, se preferires mais espesso, usar os frutos triturados.

Quantas vezes é que já te aconteceu estar no sofá e querer algo doce de repente? Muitas, não é? Nada como receitas rápidas e simples, que podem ser feitas em poucos minutos no microondas.

Bolo na Caneca

O bolo de chocolate é sempre um dos doces preferidos da maioria e que agrada a todas as idades. E se for feito em 1 minuto no microondas ainda melhor! Para este bolo na caneca, precisamos de sólidos e líquidos.

Sólidos: 25g de fermento; 200g de açúcar; 150g de farinha e 50g de cacau.

Líquidos: 1 colher de sopa de azeite; 5 colheres de sopa de leite e 1 ovo

Para tornar tudo ainda mais prático, pode manter estes ingredientes sólidos misturados num frasco e guardar no armário. A mistura aguenta 2 a 3 meses assim conservada. Depois, quando ficamos com vontade daquele doce, é só pegar numa caneca, adicionar o ovo inteiro, acrescentar o leite e o azeite (pode ser óleo ou óleo de coco), misturar tudo muito bem e juntar cerca de 100 gramas da mistura sólida (fermento, açúcar, farinha e cacau). De seguida, envolvemos tudo e levamos ao microondas durante 1:30. Fica um bolo óptimo!

Pipocas:

Colocamos a mesma quantidade de água e de milho: 5 colheres de sopa de milho de pipoca e 5 colheres de sopa de água. Deitamos dentro de um tupperware, tapamos com película aderente e levamos ao microondas durante 5 minutos. Podemos usar as pipocas para vários fins: pôr pipocas por cima de uma mousse de chocolate ou de um gelado de chocolate, pipocas salgadas por cima de um peito de frango, temperar as pipocas com caril e fica com um gosto diferente... As pipocas são muito versáteis! Experimentem!

Depois do Natal, nem sempre sabemos como utilizar aquilo que sobra das refeições, como por exemplo o peru. É uma carne versátil e que podemos acrescentar a pratos desde petiscos até wraps!

Wrap de Peru

Este wrap é muito simples de fazer e leva apenas iogurte grego, abacate, ervas aromáticas e, claro, o que sobrou do peru! Para 4 wraps, usamos 200g de peru desfiado e 100g de iogurte. Desfiamos então o peru e estendemos a tortilha. Barramos com iogurte grego, juntamos a carne, as fatias de abacate, as ervas aromáticas (orégãos ou coentros) e um bocadinho de sal. De seguida, basta enrolar! Temos assim um wrap óptimo de peru.

Escabeche de Peru

Para este petisco, precisamos de 500g de peru, que pode ser cortado aos cubinhos ou desfiado. Salteamos duas cebolas com 4 dentes de alho e uma folha de louro em azeite, durante mais ou menos 10 a 15 minutos e a temperatura média. Temperamos com sal a gosto. De seguida, preparamos uma chávena de chá com metade de vinagre de vinho branco e a outra metade de vinho branco, juntamente com uma colher de chá de paprika. Dissolvemos bem esta mistura. Quando a cebola já estiver salteada, bem douradinha, juntamos o peru, envolvemos bem e juntamos a chávena da mistura. Deixamos cozinhar bem durante mais ou menos 10 minutos e temos um escabeche delicioso, que pode conservar no frigorífico durante 1 semana.

Strogonoff de peru

O prato que faz sempre as delícias da maioria! Preparamos um refogado com 1 cebola e 3 dentes de alho em manteiga e deixamos cozinhar durante 10 a 15 minutos. Para meio kg de peru, juntamos 200ml de natas, 100ml de leite e um pouco de polpa de tomate. Envolvemos a carne e, para quem gostar, podemos ainda juntar meia dúzia de cogumelos de Paris cortados ao meio (dos frescos!).

Hambúrgueres de Recheio de Peru

1 kg de carne moída de porco

500g de carne moída de vaca

3 colheres de sopa de azeite

3 colheres de sopa de castanhas picadas

3 colheres de sopa de sultanas

Salsa picada

Sal a gosto

Misturar todos os ingredientes e fazer pequenos hambúrgueres com essa mistura. Levar ao frigorífico durante, mais ou menos, 30 minutos para solidificar. Passar os hambúrgueres em farinha, ovo batido e pão ralado e voltar a guardar no frigorífico até ser altura de os preparar. Para finalizar, é só levar ao forno para assar durante 30 minutos a 190ºC. Temos assim uns Hambúrgueres já em modo Natal com sabor a recheio de Peru!

Cubinhos de Peru com Cornflakes

As crianças adoram cornflakes e vão ficar rendidas a esta receita! Cortar o Peru em cubos de 2cm por 2cm, temperar com azeite (para 1 kg de peru, temperar com 4 colheres de sopa de azeite), acrescentar sumo de 1 limão e sal. Para quem gostar, podem juntar alho bem picado. Envolver tudo e panar a carne em cornflakes. Levar ao forno, com os cubos todos separados uns dos outros, durante 20 minutos a 190ºC. Uma ideia fácil e que vai conquistar lá em casa!

Aletria de Chocolate

Faça a sua receita de Aletria habitual (tradicional ou não), mas quando misturar o leite acrescente 2 a 3 colheres de chocolate em pó. O Chocolate dá aquele toque diferente e fica uma Aletria ótima!

Sobras de Arroz

Com comida de ontem é só precisar dar um toque de hoje! Misturamos as sobras de arroz com os ingredientes que mais gostamos, como espinafres, queijo feta ou alheira (em pedaços sem a pele) e colocamos numa travessa. Acrescentamos por cima do arroz uma camada de massa filo, pincelamos com azeite, voltamos a colocar outra camada e pincelamos (e assim sucessivamente durante, mais ou menos, 3 ou 4 vezes). Levamos ao forno durante 10 minutos e conseguimos assim um arroz crocante, com a parte de cima em massa filo estaladiça a dar uma textura diferente. Fica óptimo!

Sobras de Legumes

Também podemos usar massa filo com as sobras dos legumes para conseguirmos um prato diferente só com o que temos no frigorífico! Começamos por triturar os legumes num robot de cozinha (ou picar à faca) e depois salteamos com um bocadinho de caril e temperamos com sal. Sempre que queremos fazer caril, devemos colocar primeiro o caril no azeite (ou óleo de coco). De seguida, estendemos um rectângulo de massa filo com cuidado, fazemos pequenos rectângulos compridos e pincelamos com azeite. Colocamos um pouco dos legumes salteados na extremidade de cada um desses rectângulos e vamos dobrando como se fosse um triângulo. Ajeitamos as pontas para dar a forma de uma chamuça, e, em vez de fritarmos, levamos ao forno durante 10 minutos. Chamuças de legumes mais saudáveis!

Maçãs

Laminar as maçãs, juntar nozes, temperar com açúcar, canela e cardamomo. Colocar as maçãs numa travessa sobre a massa filo e acrescentar outra camada de massa por cima. Pincelar com manteiga, levar ao forno durante 20 minutos e no final juntar uma calda de açúcar bem quente. A calda faz-se com a mesma quantidade de água e açúcar fervidas durante 10 minutos. Não é necessário colocar muita calda de açúcar, é só mesmo para dar um toque um pouco mais doce. Fica um espécie de Strudel bem mais rápido!

Nilton – Queijo

Às vezes, acumulamos vários tipos de queijo no frigorífico e depois não sabemos bem o que fazer com todos. Queijo fresco, mozzarella... todos são óptimos para serem utilizados em pizzas! Umas pizzas muito simples e que são um bom programa para fazerem com os miúdos lá em casa. Basta comprar aquelas tortilhas de farinha de trigo ou farinha de milho, colocar na frigideira, acrescentar polpa de tomate e os queijos triturados por cima. Depois é só completarmos com os ingredientes que quisermos. Os miúdos adoram sugerir! Lá em casa, cada um dos meus filhos sugere um diferente: fiambre, cogumelos... Uma receita fácil e que acaba por se tornar um momento divertido!

Importante: quando se está a fazer a pizza na frigideira, o lume deve estar no mínimo para o queijo derreter. Devemos colocar uma tampa por cima da frigideira e deixar ficar, mais ou menos, dois minutos para a tortilha ficar crocante e o queijo totalmente derretido.

Mariana - Ervas Aromáticas (Manjericão)

Molho de Pesto! Colocar dentro de uma liquidificadora as folhas de manjericão, cobrir com azeite, 1 dente de alho, um bocadinho de queijo (por exemplo, parmesão) e um bocadinho de pinhões. Depois é só triturar tudo. Há várias versões que podem fazer lá em casa. Podem usar outras ervas aromáticas, outros frutos secos, não precisam de colocar queijo e podem acrecentar malagueta. Basicamente é uma óptima forma de usar as ervas aromáticas, que vêm sempre em muita quantidade e às vezes não sabemos como conservar o resto das folhas. Triturar, juntar um fruto seco e azeite e temos uma pasta óptima!

Pedro - Amendoins

Os amendoins vão muito bem com sobremesas, massas e risotos. Neste caso, eu sugiro fazer um puré de batata doce com amendoim. Cozemos a batata doce, tiramos a pele, colocamos numa taça, trituramos a batata doce com uma varinha mágica, juntamos leite e manteiga (para 1 kg de batata doce, juntar 200g de manteiga e 200g de leite) e no final acrescentamos 2 chávenas de café de amendoins torrados. Para quem gostar, podem acrescentar também coentros. Triturar tudo e temperar com sal. Fica um puré de batata doce com amendoins maravilhoso!

Os problemas da estreia passaram por ovos, cenouras, peito de frango e iogurte natural

Pedro Fernandes - Ovos

Abrir o frigorífico e ter ovos é bom sinal! O ovo é um alimento super versátil. Desta vez, vou sugerir um Ovo Escalfado muito simples de fazer! Num prato fundo de sopa ou numa taça, colocamos água, 1 ovo e levamos ao micro-ondas durante 1:10 min ou 1:20 min (depende da potência do micro-ondas). E temos assim um ovo escalfado! Podemos colocá-lo em saladas, no pão ou em qualquer outro prato em que gostamos de acrescentar ovos.
Sugestão: quando terminamos um treino ou depois de fazermos algum desporto, comer um ovo escalfado é sempre a melhor maneira de recuperarmos energia! Depois de uma corridinha... já sabem!

Mariana Alvim - Cenouras

Duas coisas sobre as cenouras: primeiro, é preciso “ressuscitar” os ingredientes! Se temos lá em casa aquelas cenouras que já parecem um pouco murchas e sem vida, devemos colocá-las em água para voltarem a ficar hidratadas. Este processo leva, mais ou menos, entre 12 a 24 horas. Sugiro então fazermos um picle de cenouras com a técnica 3-2-1: 3 medidas de água (por exemplo, 3 chávenas de café de água), 2 de vinagre e 1 de açúcar. Aquecer esta solução e misturar a cenoura picada. Podemos juntar um bocadinho de alho e um bocadinho de malagueta. Depois guardamos num frasco hermeticamente fechado no frigorífico e aguenta, mais ou menos , 2 meses. Aqui está uma boa forma de aproveitarmos ingredientes que sobram e que muitas vezes não temos ideia do que fazer com eles. Tudo se aproveita!

Nilton - Peito de frango + Iogurte natural

Com peito de frango e iogurte natural temos um verdadeiro pitéu! Envolvemos o peito de frango no iogurte e acrescentamos sumo de lima e sal. Levamos ao forno durante 20 minutos, abrimos uma garrafa de vinho, bebemos um copo... sem esquecer o que temos no forno, claro! 20 minutos depois, temos um peito de frango altamente suculento e com um sabor maravilhoso!

  • Partilha:

Top