Brasões do jardim da Praça do Império vão ser retirados brevemente

OS BRASÕES REPRESENTAM AS ARMAS DAS CIDADES CAPITAIS DE DISTRITO PORTUGUESAS E DAS EX-COLÓNIAS

Jéssica Santos


Em 2014, o vereador dos Espaços Verdes, José Sá Fernandes, manifestou a vontade da autarquia em retirar os brasões, que representam as armas das cidades capitais de distrito portuguesas e das ex-colónias, do jardim da Praça do Império, por considerar já estarem “ultrapassados" e desconfigurados devido à falta de manutenção.


Os brasões florais foram colocados no jardim em 1961, quando se assinalou o quinto centenário da morte do Infante D. Henrique.



As críticas que surgiram, depois deste anúncio, levou o município a promover um concurso de ideias para o jardim. Em 2016, foi conhecida a proposta vencedora, do atelier ACB, que prevê a substituição dos brasões por um espaço relvado e tornar o jardim do Império o mais parecido com o seu desenho original, de 1940 – ano em que o jardim e a praça foram construídos.


Na altura, o presidente da Junta de Freguesia de Belém, Fernando Ribeiro Rosa, mostrou-se contra e disse que não se podia destruir assim símbolos que são parte da nossa História.

Atualmente, Fernando Ribeiro Rosa mostra-se conformado com a opção da câmara, mas luta agora para que esses brasões sejam replicados na calçada da Praça do Império.

Seis anos depois, as obras deverão começar brevemente, uma vez que o contrato com o responsável da obra foi assinado em dezembro.

  • Partilha:

Top