Academia francesa recusa ensinar português nas escolas francesas porque “baixaria o nível”

A ACADEMIA QUE REGE O ENSINO PÚBLICO EM MONTPELLIER RECUSOU ENSINAR PORTUGUÊS NAS ESCOLAS PÚBLICAS

Madalena Costa


O ensino da língua portuguesa em escolas públicas francesas parece ter os dias contados...


A Academia de Montpellier é o órgão máximo regional que coordena o ensino escolar e universitário na região francesa e, por isso, é o responsável por escolher as línguas que são ensinadas nas respetivas escolas.


Até ao momento, a língua portuguesa fazia parte do currículo escolar de alguns estabelecimentos de ensino de Montpellier, mas uma decisão dos diretores das escolas e, posteriormente, da Academia de Montpellier mudou por completo essa realidade.


Agora, o reitorado de Montpellier recusou o ensino do português, justificando que “baixaria o nível” do ensino nas escolas públicas da região.


Por agora, a Associação Cultural de Língua Portuguesa Casa Amadis, em Montpellier, França, é a única possibilidade para os jovens que querem aprender a nossa língua desde o primeiro ano da escola primária. Uma professora do instituto Camões tem-se deslocado à região para ensinar quatro turmas em Montpellier e arredores.



A Casa Amadis denunciou a recusa do ensino de português levado a cabo pelo reitorado de Montpellier, explicando que, de acordo com o presidente da associação, “há um único liceu, que lutando contra toda a gente e porque tem um diretor que gosta da língua portuguesa, que ensina português e outros liceus deram-nos como resposta que não iam ter português porque ia baixar o nível dessas escolas, portanto preferiam ter chinês."


A par desta recusa, a Casa Amadis garante que há procura pelo ensino português e, por isso, quer agora oferecer aulas de teatro em português dos 05 aos 17 anos de forma a estimular a aprendizagem da língua, nas escolas de Montpellier. Isto para mostrar que o português “não é uma língua desprezível ou que não tem ligação a uma cultura".


  • Partilha:

Top