Sobre as autoras…

Ana Margarida Oliveira é licenciada pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Foi professora de língua portuguesa no ensino secundário público e é produtora de conteúdos na rádio. Tem editados dois romances históricos Pimenta da Índia, Os amores e os desgostos de D. Maria I e D. Maria II. Publicou outros livros, na área da não ficção como Os descobrimentos portugueses e As curiosidades da História de Portugal.

Em jovem teve uma versão light de papeira. Tem insónias, fala alemão e não toca piano. Prefere rugby a futebol e detesta caracóis, sobretudo no prato. É avessa às pipocas no cinema e tem mais cenas e eventos diversos na sua vida, mas não sabe se as pessoas estão preparadas para ouvir. Diz que é um bom garfo, mas também aprecia uma boa colher.

Ana Margarida Rosa andou na escola pública e frequentou Relações Internacionais. Trabalha em rádio há 37 anos. Escreveu guiões para televisão – uns foram vistos, outros não. Coordenadora Musical na rádio, é também DJ nas horas vagas e diz que ainda vai a tempo de aprender a tocar guitarra.
Teve sarampo em pequena e usou aparelho dentário em adulta. Durante muitos anos foi adepta do Sporting, mas agora também é sócia. Fala inglês razoável, mas no castelhano é péssima. Não tem alergias conhecidas e desdenha mesas de camilha. Não bebe café, nem chá, nem limonada. É ambidextra e esquisitinha com a comida. Gosta de cães e da Cova do Vapor.

De Maneiras Que É Assim...

D. Manuel II e último - Foi o último Rei de Portugal. Sonhou sempre com a restauração da Monarquia, mas recusou métodos violentos para a alcançar. Ás vezes os últimos são os primeiros.



Neste episódio, lançado na véspera do dia dos namorados, só podiamos falar de amor... e é isso mesmo que vais ter durante os próximos minutos: uma história de amor tão linda a de Pedro e Inês. Pena que tenha tido contornos tão trágicos. Teria D. Inês sido vítima de uma conspiração ou do mau feitio do sogro?



Neste episódio, lançado na véspera do dia dos namorados, só podiamos falar de amor... e é isso mesmo que vais ter durante os próximos minutos: uma história de amor tão linda a de Pedro e Inês. Pena que tenha tido contornos tão trágicos. Teria D. Inês sido vítima de uma conspiração ou do mau feitio do sogro?


EP 37 - D Inês de Castro


Ilha da Madeira, Porto Santo, Ilhéu Chão, Deserta Grande, Bugio, Selvagem Grande, Selvagem Pequena e Ilhéu de Fora. E Cristiano Ronaldo. "Prontos!"


EP 36 - Pérola do Atlântico


Carrilhões, carrilhões aos molhos, por causa de ti usaram-se imensos folhos. D. João V gostava de coisas magníficas. Do Aqueduto das Águas Livres ao Convento de Mafra, tudo saiu da ambição deste homem.


EP 34 - Rainha Santa Isabel

Padroeira de Coimbra e fazedora de milagres - o mais famoso de todos o das rosas. Transformar coisas em outras coisas era apenas um dos seus talentos.


EP 34 - Rainha Santa Isabel

D. Manuel I era vaidoso e lavadinho. A ele devemos o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém, o caminho marítimo para a Índia e o achamento do Brasil. Parece muito? Ainda há mais...


EP 33 - O ESTILO DE D. MANUEL LINO


Magnífica vegetação, paisagens, poetas, artistas, sotaque colorido e queijo! Tudo os Açores têm! Que mais curiosidades as nove ilhas nos reservam?


EP 32 - Amores, são os Açores!

Entre sangrias desatadas, sanguessugas atrás das orelhas e misérias absolutas, muito evoluiu a medicina ao longo dos séculos. Como chegar vivo até aos dias de hoje permanecerá sempre um mistério.


EP 31 - Doenças e Suas Curas

O que comiam os reis e os nobres? Como comiam os reis e os nobres? Quem cozinhava para reis e para nobres? No meio de tanto banquete quem afinal lavaria a louça?

EP 30 - À mesa, Com Certeza



Segundo os historiadores, D. Fernando II, segundo marido de D. Maria II, casou em segundas núpcias com a Condessa de Edla. Saiu da sua cabeça e dos seus bolsos a construção do Palácio da Pena em Sintra. E foi o primeiro a trazer a árvore de Natal e o Pai Natal para as nossas simples vidas.


EP 29 - D Fernando II, Pai Natal


Casada com um tio, rainha aos 42 anos, avessa ao feitio do Marquês de Pombal. Teria D. Maria I ficado mesmo maluca ou foi vítima de uma terrível conspiração que a afastou do trono de Portugal? A vida e obra da nossa primeira mulher rainha


EP 28 - D Maria I

D. Leonor de Lencastre, ou de Portugal, ou de Viseu, ou de Avis. Conhecida por muitos nomes, mas mesmo famosas são as suas Caldas da Rainha. Mas Caldas porquê? E onde entra aqui a louça marota? Teria a rainha alguma coisa a ver com isto?


EP 27 - D. Leonor das Caldas da Rainha


Pedro Álvares Cabral achou ou descobriu o Brasil? Enganou-se no caminho para a Índia ou ia com missão encomendada? Sabia ler mapas ou era como os que se recusam a perguntar o caminho? Porque é que o Brasil se chama Brasil? Saravá, minha gente!


EP 26 Pedro Alvares Cabral, já chegámos ao Brasil?



A ela os ingleses devem o chá das cinco, o açúcar, o tabaco e os talheres. Porque nunca foi Catarina de Bragança coroada Rainha em Inglaterra? Ingratidão ou razão? Porquê tanta falta de chá?


EP 25 - Catarina de Bragança, Lady Marmalade


Quem é o Repórter X? Reinaldo Ferreira tornou-se conhecido como Repórter X. Impostor ou criativo? Imaginativo ou viciado em morfina? Verdade ou mentira? Perguntas e mais perguntas...


EP 24 - Repórter X



Zé do Telhado seria um valente militar que, caído em desgraça, se dedicou ao crime, assaltando os ricos para dar aos pobres ou chefe de uma quadrilha de bandoleiros, ávidos de sangue e riquezas?


EP 23 - Zé do Telhado



De humilde padeiro a dono de um império, provando que o que para uns é lixo, para outros é luxo


Ep 22 - Rei do Lixo


O episódio desta semana é sobre um homem de muitos chapéus, Cottinelli Telmo. Arquiteto, realizador, ilustrador, músico. São raros s que nunca se cruzaram com alguma obra sua.

Ep 21 - Cottinelli Telmo



D. Maria Pia tinha gostos refinados, mas também era o Anjo da Caridade. Em que ficamos? Nem sei, filhas… o melhor é ouvir:

Ep 20 D Maria Pia - Querem rainhas, paguem! Podcast De Maneiras Que É Assim...


Maria Amélia Helena, a última rainha consorte de Portugal que na verdade teve pouca sorte. Que aventuras viveu durante a sua longa vida? Muitas, minha gente!


Ep 19 D Amélia - O fabuloso destino de Amélia


Feminista, pioneira, inspiradora. Não há adjectivos suficientes para descrever esta magnífica mulher que desafiou uma bafienta sociedade conservadora. Beatriz Angelo

Ep18 Beatriz Angelo - Carolina + Beatriz + Angelo. Podcast De Maneiras Que É Assim


É na Freguesia de Pias, em Monção que podemos frequentar uma Feira com um nome muito curioso. Um certame bem peculiar. Mas mais peculiar é a protagonista deste episódio - Deuladeu Martins.

Ep 17 Deuladeu Martins - Podcast De Maneiras Que É Assim


A horripilante história de Luísa de Jesus, a última mulher a ser executada em Portugal por assassinar bebés! Hoje isto é tenebroso, malta.

Ep16 Luísa de Jesus - assassina de bebés. Podcast De Maneiras Que É Assim


Antes daquela que chocava o mundo e era Material Girl, existiu a original Mumadona Dias. A ela devemos a fundação de Guimarães. Será que também gostava dos soutiens desenhados por Jean-Paul Gaultier?


Ep15 - Mumadona Dias - Podcast De Maneiras Que É Assim


Numa altura em que o bungee jumping ainda não era actividade lúdica, diz que Diogo Alves atirava pessoas do alto do aqueduto das Águas Livres. Imagine-se o transtorno. Hoje, partimos à descoberta do assassino e seus comparsas.


Ep 14 - Diogo Alves. O assassino do Aqueduto


Ó rua do Capelão juncada de rosmaninho, tropeçamos em turistas que se cruzam no caminho. Se vivesse hoje, cantaria assim Severa? É sobre ela o nosso fado…


Ep 13 Severa, a face do Fado



Estamos 147 anos antes de Cristo. Toda a Hispânia está ocupada pelos romanos… Toda? Não! Uma terra povoada por irredutíveis lusitanos resiste ainda e sempre ao invasor. E assim começa a nossa aventura!


Ep12 - Viriato - Virilhas de Viriato


Na vida às vezes é preciso meter uma cunha. Que o diga Martim Moniz cujo sacrifício abriu as portas ao castelo às forças de D. Afonso Henriques. Será que existiu mesmo ou é obra de ficção? Era um tema que tínhamos entalado…

Episódio 11 - Martim Moniz, calço humano


A mãe era doida. A mulher uma megera. Os inimigos cruéis. Os aliados oportunistas. Não havia o homem de andar stressado?


EP 10 - D. João VI, bissexto


Para o que havia de dar a raça do miúdo, pá! D. Sebastião, trágico herói ou puto mimado? Sempre que o dia nasce com nevoeiro, pensamos que é desta que ele regressa. Mas, caramba, que atraso tremendo!


EP 9 - D Sebastião, o sem noção


D. Carlota Joaquina gostava de beber. Gostava de sapatos e vestidos e de se deitar com vários homens. Gostava de tanta coisa, menos do marido. O que se há-de fazer? Há vidas assim...

EP 8 D Carlota Joaquina meu reino por 1 caipirinha


D. Maria Francisca de Sabóia casou com dois irmãos. Como é que isto se deu? Olhem, filhas, são vidas...

EP 7 - D Maria Francisca e os seus 2 maridos


Sie heiratete Pedro, starb jung und gab einem Krankenhaus ihren Namen. Meine Damen und Herren, D. Estefânia Hohenzollern-Sigmaringen. E viva o tradutor do Google!

 


Não se pode irritar uma mulher irritadiça e o Mestre de Avis dava nos nervos à Leonor. As coisas azedaram mesmo quando ele deu uma cabeçada fatal no Conde Andeiro. Cegadas de faca e alguidar há muitas, mas como esta é rara. Felizmente há quem goste de uma boa fofoca.


EP 5 - Leonor Teles, Parte 2

Uma mulher à frente do seu tempo ou uma grandessíssima porca? D. Leonor Teles teria casado por amor ou por interesse? Era carente ou queria ser regente? Só nos resta espreitar pelo postigo e comentar, comentar, comentar

EP 4 - Leonor. Teles ou reles? Uma parte da novela


D. Dolores só há uma, a Aveiro e mais nenhuma! Neste episódio falamos de outra dona. A Mécia, esposa de D. Sancho II que se auto-raptou para não ter que lhe aturar as birras. O mundo é de facto uma bola...

EP 3 - D Mécia


Padeira, assassina, heroína, pouco feminina. Tanto há para dizer da padeira mais famosa de Aljubarrota. Que tinha 6 dedos em cada mão e um feitio muito peculiar é o mínimo. O resto, como se diz, é história...

Episódio 2 - Brites de Almeida, a social padeira


Depois daquela batalha em que o filho bateu na mãe, certamente que os jantares de Natal passaram a ser bastante tensos para os lados do Condado Portucalense. Será que afinal D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques não lhe deu abraços suficientes? E o menino, teria ciúmes do Peres de Trava? É uma daquelas fofoquices à qual não resistimos.