Denver de La Casa de Papel viveu depressão severa depois de se tornar famoso

DEPOIS DE SE TORNAR MUNDIALMENTE CONHECIDO, JAIME LORENTE, DENVER DE LA CASA DE PAPEL, CONFESSOU QUE VIVEU UMA DEPRESSÃO FORTE

Madalena Costa


Assim que estreou, a série “La Casa de Papel” conquistou milhares de pessoas em todo o mundo. Os atores, que ainda não eram muito conhecidos do grande público, viram as suas carreiras e vidas despoletar para a fama rapidamente.


Apesar de ser um grande reconhecimento do talento e do trabalho dos atores envolvidos na série, a fama acabou por trazer a, pelo menos, um deles consequências negativas e prejudiciais.


Jaime Lorente, ator que veste a pele de Denver em "La Casa de Papel" e de Nano Garcia em "Elite", confessou recentemente que viveu uma “depressão severa”, depois de se ter tornado mundialmente conhecido.



A sua personagem na série virou-lhe radicalmente a vida ao contrário, sem ele próprio estar à espera disso.


"A minha vida deu uma volta de 180 graus do dia para a noite e não tive tempo de reação, não sabia como gerir, ninguém te ensina. A fama repentina deixou-me um vazio. Não queria continuar aí" confessou ao jornal El País.


Sem estar minimamente preparado para o que de bom e de mau a fama lhe poderia trazer, Jaime Lorente deixou-se deslumbrar pelos holofotes. Pouco tempo depois, começou a perceber que não estava bem e que precisava de pedir ajuda.


"Tive de procurar ajuda para gerir o caos e encontrar um lugar. Levei muito tempo para dizer 'pára', sim, porque as luzes são deslumbrantes. A fama vicia. Pode ser uma droga. E é extremamente perigoso. É a maneira mais fácil de perder a cabeça" contou o ator espanhol.


Depois de reconhecer que precisava de ajuda para encontrar o seu caminho, Jaime Lorente percebeu que o seu percurso profissional passava pelo teatro. Por isso, decidiu voltar a pisar as “tábuas”, a produzir e a protagonizar uma nova personagem.


Atualmente, o ator dá vida e voz a um monólogo do dramaturgo e cineasta argentino Santiago Loza, intitulado “Matar Cansa”.


"Não construí uma carreira, estou a construir agora. Por isso, comecei a produzir teatro sozinho. Para voltar a ser quem eu quero e não quem os outros querem" confessou Jaime Lorente, que está, agora, a viver uma nova fase da sua vida e carreira.


  • Partilha:

Top