Depois de críticas, Pedro Abrunhosa volta a dar concerto e a manifestar-se contra a guerra na Ucrânia

PEDRO ABRUNHOSA DEU O PRIMEIRO CONCERTO DEPOIS DAS CRÍTICAS QUE RECEBEU DA EMBAIXADA RUSSA. O CANTOR NÃO SE DEIXOU INTIMIDAR E VOLTOU A CRITICAR OS SOLDADOS RUSSOS E A APELAR À PAZ

Jéssica Santos


"Este concerto acabou com uma palavra que diz 'paz'. É o único passo que eu quero que aconteça", disse Pedro Abrunhosa, à SIC, depois de ter dado o primeiro concerto desde a polémica em que viu o seu nome envolvido. Durante um concerto em Águeda, o cantor criticou Putin, os soldados russos, os barcos russos e todos os que estão a contribuir para a guerra na Ucrânia.


Pedro Abrunhosa não se deixou intimidar com as críticas da embaixada russa e, em Pombal, naquele que foi o primeiro concerto desde a polémica, voltou a apelar à paz e manifestou-se contra todos os russos que fazem parte da guerra.



"Ter medo das palavras é triste. Os tiranos têm medo das palavras. Aqueles que praticam o mal têm medo das palavras", disse antes de começar a cantar a sua música com Os Bandemónio, “Talvez F****”, adaptada com as palavras "soldados russos" e "barco russo".


Desde que o nome do cantor esteve envolvido em críticas que vários artistas se juntaram para o apoiar. Carolina Deslandes, Irma, Agir, Jimmy P, Karetus ou HMB partilharam nas suas redes sociais uma fotografia do cantor com um texto onde apelidam o comunicado da embaixada russa de "uma ameaça inaceitável num país democrático como Portugal".

"Temos que demonstrar a nossa indignação e estar solidários com o Pedro. Não foi só o artista Pedro Abrunhosa a ser intimidado, foi toda a classe artística nacional. (...) A intimidação não nos calará, pois no dia em que o medo nos cale a voz, viveremos na escuridão."


  • Partilha:

Artigos Recomendados
Top