A culpa foi da Yoko?

QUEM É YOKO ONO, A MULHER QUE DIZEM QUE SEPAROU OS BEATLES?

Teresa Lage


Mais de 50 anos depois do fim dos Beatles, há ainda quem diga que a culpa foi da Yoko, a segunda mulher de John Lennon que completa hoje 88 anos.

Passados 51 anos da separação de John, Paul, George e Ringo, muitos fãs acreditam ainda que foi a artista plástica japonesa com quem John Lennon se casou em março de 1969, a culpada, um ano depois, pelo fim da maior banda da história da música popular. Há até quem lhe chame "a viúva negra"!

Mas será que a culpa foi da Yoko?



Na verdade, ao fim de 8 intensíssimos anos de uma exposição sem precedentes, 13 inovadores álbum de estúdio, de loucas digressões, os Beatles começavam a avançar para caminhos diferentes. George apaixonara-se pela música e religião oriental, Paul apaixonara-se pela norte-americana Linda Eastman, John pela japonesa por Yoko Ono e os novos interesses e novos amores de cada um tinham passado a fazer parte das suas vidas, da sua música e até da suas estéticas.

Claro que o facto de John Lennon começar a trazer a sua nova paixão para as gravações dos discos Beatles e por Yoko não ter problema em opinar sobre assuntos que até então diziam apenas respeito aos 4 músicos, também não ajudou.

A presença da nova mulher de John em estúdio era só mais uma achega para o desgaste que o grupo começava a sentir.

Este último periodo da vida dos Beatles aparece documentado no filme "Let it Be" que Peter Jackson está a recuperar para o novo documentário "The Beatles:Get Back", com estreia prevista para Agosto deste ano.

No entanto se ajudou a acabar com os Beatles, Yoko Ono ajudou também a salvar a vida de John Lennon e contribuiu, através dele, nos últimos anos de vida do grupo, para a sempre inovadora estética dos Beatles



Quando conheceu John Lennon, em Londres, dia 9 de novembro de 1966, na Indica Gallery, onde preparava uma exposição de arte conceptual, Yoko Ono, 7 anos mais velha do que John, já era uma artista relevante, que teria lugar de destaque na história da arte de vanguarda do século 20 mesmo que nunca tivesse casado com um Beatle.

Claro que não teria sido reconhecida da mesma maneira mas quando o músico e a artista se cruzaram pela primeira vez, Yoko já tinha trabalhado com os mais importantes artistas da vanguarda japonesa, conhecia bem John Cage, Nam June Park, Merce Cunningham e Allan Kaprow e tinha desenvolvido trabalhos pioneiros da arte conceptual como a performance "Cut Piece" , o livro "Grapefruit" (onde John e Yoko se inspirariam para a letra de "Imagine") e realizado vários filmes experimentais.



Foi também graças à influência de Yoko que John Lennon, além de grande compositor, se manteve, mesmo a solo, como um dos artistas mais importantes e revolucionários do século XX.

Foi com o seu apoio e incentivo que Lennon tornou a sua música cada vez mais autobiográfica e se assumiu como militante pela paz. Juntos realizaram happenings de protesto contra a guerra no Vietnam como o "Bed-In for Peace" (Na cama pela paz,) em que ambos permaneceram, durante uma semana, na cama e receberam a comunicação social em pijama, primeiro num quarto de hotel em Amsterdão e depois em Montreal, no Canadá, onde gravaram o hino "Give Peace a Chance".




Foi também com Yoko que John se estreou a solo com uma trilogia de discos experimentais e formou a Plastic Ono Band, banda com que ganharia coragem para voltar aos palcos depois dos Beatles.

Sem Yoko teria sido para John mais difícil lidar com o sucesso, com as drogas. Foi ao seu lado que John Lennon permaneceu… até à sua morte em Nova Iorque, a 8 de Dezembro de 1980 e é a sua segunda mulher quem continua a zelar pela obra do ex Beatle.



Apesar da popularidade (boa e má) que lhe trouxe o facto de ser mulher de um Beatle, Yoko Ono nunca se apagou na sombra de John Lennon e continua ativa até hoje, aos 88 anos, com um trabalho vigoroso e desafiador.

Entre 30 de Maio e 15 de novembro de 2020, o Museu de Serralves exibiu algumas das suas obras mais importantes na magnifica exposição - "Yoko Ono: O Jardim da Aprendizagem da Liberdade"- Uma exposição em que é bem patente a influência estética que a artista japonesa teve na obra de John Lennon e na dos Beatles.


  • Partilha:

Artigos Recomendados
Atriz de “Velocidade Furiosa” ...Atriz de “Velocidade Furiosa” faz parte do elenco da primeira série portuguesa da NetflixSTEPHANIE VOGT É A NOVA APOSTA PARA O ELENCO DE "GLÓRIA"maisGravações de “Missão Impossíve...Gravações de “Missão Impossível” canceladas por exigência da equipaIMPOSSÍVEL TERMINAR "MISSÃO IMPOSSÍVEL". A EQUIPA DO FILME RECUSOU CONTINUAR A TRABALHAR DEVIDO AO AUMENTO DE CASOS DE COVID-19 QUE SE REGISTAM NOS EMIRADOS ÁRABES UNIDOSmaisClubhouse: a rede social do mo...Clubhouse: a rede social do momento!O CLUBHOUSE TEM ATRAÍDO A ATENÇÃO DE MILHARES DE UTILIZADORES QUE QUEREM ADERIR, TANTO EM PORTUGAL COMO NO MUNDOmaisDavid Carreira fala da RFM em ...David Carreira fala da RFM em novo e exclusivo documentárioA SIC EMITIU O DOCUMENTÁRIO "OS SONHOS NÃO TÊM TETO" DE DAVID CARREIRA, QUE ELOGIOU A RFMmais​“Estas são as características...​“Estas são as características que o meu namorado deve ter...”- Mariana Monteiro revelou tudo à RFMA ATRIZ MARIANA MONTEIRO ESTEVE À CONVERSA COM O WI-FI E AGRADECEU A COMPANHIAmaisProjeto português “Vizinhos à ...Projeto português “Vizinhos à Janela” ganha prémio de Solidariedade Civil da União EuropeiaUM GRUPO DE VIZINHOS JUNTOU-SE PARA LEVAR MÚSICA E ANIMAÇÃO A VÁRIAS VARANDAS E JANELAS DE OEIRASmaisA história dos lenços dos namo...A história dos lenços dos namorados: uma carta de amor à moda antigaO LENÇO DOS NAMORADOS GUARDAM EM SI MUITAS HISTÓRIAS DE AMORmais​“Foi o pior programa que apre...​“Foi o pior programa que apresentei!”- Jorge Gabriel à RFMJORGE GABRIEL ESTEVE, DIA 10 DE FEVEREIRO, EM DIRETO DE SUA CASA, À CONVERSA NO LIVE DO WI-FImaisSuper Bowl: The Weeknd dominou...Super Bowl: The Weeknd dominou o intervalo!A FINAL DA LIGA NACIONAL DE FUTEBOL AMERICANO CONTOU COM UMA ATUAÇÃO ESTRONDOSA DE THE WEEKEND, NO INTERVALO MAIS FAMOSO DO MUNDOmais
Top