Papa Francisco condena racismo e violência

O PAPA FRANCISCO DEMONSTROU PROFUNDA PREOCUPAÇÃO AO ASSISTIR AOS ATOS DE RACISMO E DE VIOLÊNCIA VIVIDOS NOS ESTADOS UNIDOS

Madalena Costa
Ana Margarida Oliveira


"Não podemos tolerar nem fechar os olhos a qualquer tipo de racismo ou de exclusão."

Assim começou o Papa Francisco a sua comunicação, a partir do Vaticano, referindo-se à morte de George Floyd e aos violentos tumultos que se têm vivido, nos Estados Unidos.


Preocupação e consternação foram os sentimentos que o Papa Francisco demonstrou, quando falou sobre o racismo e sobre os acontecimentos que estão a marcar várias cidades norte-americanas.


Durante as saudações aos fiéis de língua inglesa, que aconteceu esta quarta-feira, o Papa Francisco revelou que está a “acompanhar com grande preocupação os episódios de violência que estão a ser vividos nos Estados Unidos, depois da morte trágica de George Floyd.”



O Papa Francisco mostrou claramente a sua posição contra o racismo, tendo dito que é um ato intolerável.



O Santo Papa revelou ainda que se uniu à Igreja de São Paulo e Minneapolis, nos Estados Unidos, em oração “pela alma de George Floyd e por todos os outros que perderam a vida por causa do pecado do racismo.”


Pela voz do Papa, é visível a homenagem a George Floyd e a indignação que têm sido mostradas e vividas nos últimos dias.


  • Partilha:

Top