Afinal, Ljubomir Stanisic não vai ser julgado por alegado suborno a polícia

O CHEF FOI ILIBADO DAS ACUSAÇÕES DE CORRUPÇÃO ATIVA E DESOBEDIÊNCIA PELO TRIBUNAL CENTRAL DE INSTRUÇÃO CRIMINAL

Madalena Costa


Corria o mês de abril do ano passado quando chegou o primeiro confinamento implementado no nosso país, após o início da pandemia de Covid-19.


Durante a Páscoa, assinalada a 12 de abril, Ljubumor Stanisic tinha intenção de viajar para Grândola, e terá subornado com vinho e rum um polícia para contornar uma ação de fiscalização na Ponte 25 de abril e ainda o dever geral de recolhimento domiciliário.



O sucedido veio a público poucos dias depois e soube-se que o Ministério Público tinha aberto um processo pelo crime de corrupção e outro de desobediência.


As provas que o Ministério Público tinha em mãos eram algumas escutas, onde alegadamente se ouve o chef a falar com o irmão de um agente da PSP sobre uma viagem que queria fazer até Grândola, para passar a Páscoa com a família. Em troca, houve então a entrega de duas garrafas de vinho e de rum.


No entanto, soube-se, esta quarta-feira, que, afinal, Ljubomir Stanisic não vai ser julgado. O Tribunal Central de Instrução Criminal considerou que as provas não são suficientemente fortes para acusar o chef do crime de corrupção ativa e ainda o recurso a escutas não é permitido.


Já no que toca ao crime de desobediência, o apresentador do programa “Hell’s Kitchen” não vai ser também julgado porque a violação ao confinamento “não se enquadra naquele ilícito à luz da legislação então em vigor”.


  • Partilha:

Top