Maria Botelho Moniz oferece-se para pagar tratamentos a menino agredido na escola

A APRESENTADORA INDIGNOU-SE COM UMA AGRESSÃO A UM MENINO, QUE FICOU TETRAPLÉGICO, E OFERECEU-SE PARA PAGAR TRATAMENTOS

Madalena Costa


Na emissão de “Dois às 10” desta quarta-feira, Maria Botelho Moniz e Cláudio Ramos ficaram a conhecer a história de Leandro, um menino que ficou tetraplégico, em 2017, depois de ter sido agredido na escola.


A história foi contada pela irmã de Leandro, que revelou que, num intervalo da escola, o menino estava a partilhar um pacote de bolachas colegas quando um outro lho tirou. A situação terminou numa grande discussão e com uma “chapada na testa do Leandro, (…) que, sem contar, acabou por cair muito mal”.


Perante esta situação, Leandro foi transportado para o hospital, onde foi diagnosticada uma hemorragia grave. A partir daí, seguiram-se cerca de 28 intervenções cirúrgicas e o menino acabou por ficar tetraplégico e totalmente dependente.


Passaram-se anos, meses e dias, e a escola em que Leandro frequentava nada fez para resolver ou ajudar a situação.


A irmã de Leandro criticou a inatividade da escola, que só se importou com a “sua visibilidade”.


Perante esta inatividade da escola, Maria Botelho Moniz ficou visivelmente indignada e revoltada, tendo dito que “isto é de levar uma pessoa à loucura”.



Neste momento, a família de Leandro não está a receber apoios para conseguir pagar a instituição onde está o menino e, perante isso, Maria Botelho Moniz ofereceu-se para o fazer.


A apresentadora afirmou que “se esta gente não quer fazer por ele, faço eu, faz o Cláudio, faz a nossa equipa. Vai ser pago sempre e tem a minha palavra de honra”.


A atitude de Maria Botelho Moniz e a forma como manifestou a sua revolta está a ser muito aplaudida nas redes sociais.


  • Partilha:

Top