O que foi, afinal, o grito do Ipiranga?

ESTE É UM DOS MAIS FAMOSOS MOMENTOS DA HISTÓRIA DO BRASIL E FAZ HOJE 199 ANOS

Ana Margarida Oliveira


Foi o príncipe regente D. Pedro, futuro rei de Portugal D. Pedro IV e Imperador D. Pedro I do Brasil que deu o famoso grito do Ipiranga, nas margens do rio com o mesmo nome, que fica na atual cidade de São Paulo.


O português que deu um grito ao pé do rio Ipiranga


O Brasil fez parte da Coroa portuguesa desde 1500 até 1825. Recorde-se que a corte portuguesa se transferiu para o Brasil em 1807, por altura das invasões francesas.

Ao fim de 322 anos como colónia portuguesa, a 7 de setembro de 1822, o famoso "Grito do Ipiranga" foi clamado nas margens do rio Ipiranga, onde se situa hoje a cidade de São Paulo, o que iniciou o processo de independência do Brasil.

Faz 199 anos.




Nesse dia, o príncipe D. Pedro passava junto ao ribeiro do Ipiranga - que significa “rio vermelho” na língua tupi - juntamente com os seus companheiros e guardas, quando recebeu notícias de Lisboa que não lhe agradaram. Nessa altura, terá gritado: «Independência ou morte!».

Esse grito e essa data marcaram a independência do Brasil.


A 12 de outubro de 1822, o príncipe D. Pedro foi proclamado imperador e o Brasil elevado a império. Nessa altura, estalou a guerra. Após 3 anos de lutas intensas, Portugal reconheceu, por fim, a independência do Brasil, num tratado assinado a 29 de agosto de 1825.


O Brasil tornou-se independente de Portugal, mas D. Pedro permaneceu como imperador.


D. Pedro abdicou de Imperador do Brasil, em 1831, e regressou a Portugal para liderar a luta contra o regime absolutista do seu irmão D. Miguel e veio a ocupar o trono como D. Pedro IV.



O rei com o coração num lado e o corpo noutro


É provavelmente um caso único no mundo.

O coração de D. Pedro está em Portugal e o seu corpo no Brasil.


A história é estranha mas cheia de paixão por uma cidade à qual, em vida, um homem quis entregar o seu coração, quando partisse um dia. Esta cidade é o Porto.

O coração é o do rei D. Pedro IV de Portugal, também imperador Pedro I do Brasil, e está na Igreja da Lapa, no Porto.


Durante a luta que D. Pedro (liberal) travou contra o seu irmão, D. Miguel (absolutista), entre 1832 e 1833, contou com o impressionante empenho, bravura e incondicional sentido patriótico da população do Porto.

Como última vontade, D. Pedro IV deixou escrito no testamento que exigia que o seu coração fosse oferecido a esta cidade.

Então, em 1835, quando morreu, o coração do rei foi colocado na Igreja da Lapa, como sinal da sua imensa gratidão ao Porto, pela vitória sobre os absolutistas.


Mas D. Pedro IV de Portugal foi também o Imperador D. Pedro I do Brasil e este país reclamou que o seu corpo fosse lá sepultado.


É, então, em São Paulo que está sepultado, sem coração, numa cripta dentro do monumento da Independência do Brasil, situado no riacho do Ipiranga, onde D. Pedro gritou a independência do Brasil.



O Coração está na Igreja da Lapa, no Porto


  • Partilha:

Top