Digressão em holograma de Amy Winehouse. Era preciso?

Quando se fala de digressões de músicos em holograma, pensamos sempre em cenas do futuro ou em invenções sul coreanas.

Mas o futuro já chegou. Há uns meses, os fãs dos famosíssimos suecos ABBA foram surpreendidos com o anúncio do regresso da banda em 2019 numa tour... em holograma.

Agora é a vez dos fãs de Amy Winehouse receberem a mesma notícia. Segundo a agência Reuters, Amy vai regressar aos palcos, no próximo ano. Há, no entanto, uma grande diferença em relação à dos ABBA. Enquanto que os quatro suecos estão de boa saúde a gozar os direitos que recebem das músicas e dos eventos com a imagem ABBA, Wynehouse faleceu em 2011, aos 27 anos.

O anúncio foi feito pelo próprio pai da cantora à Reuters e afirmou que, embora possa parecer um pouco macabro, é algo que a cantora certamente iria gostar.

O espectáculo, que deverá estrear em 2019, será criado pela mesma empresa que produziu as digressões de holograma de Roy Orbison, cantor da década de 1960, e da cantora de ópera Maria Callas. Os produtores esperam levar o espetáculo em digressão à volta do mundo, durante três anos.
Mitch Winehouse disse que todo o dinheiro que a família venha a receber, com a digressão, irá para a Fundação Amy Winehouse, criada após a sua morte para ajudar os jovens que sofrem com abuso de substâncias.

  • Partilha:

Top