Portugal antecipa a 4.ª fase de desconfinamento: o que abre a 1 de maio

APÓS A PRIMEIRA, A SEGUNDA E A TERCEIRA FASE, PORTUGAL AVANÇA PARA A 4.ª E ÚLTIMA FASE DO PLANO DE DESCONFINAMENTO


Vem aí a 4.ª e última fase de desconfinamento!


O esforço dos portugueses está, finalmente, a dar resultados e isso é comprovado pela estabilidade dos casos positivos de Covid-19, o risco de transmissibilidade controlado e uma baixa taxa de incidência.


Tendo em conta os bons resultados que Portugal tem registado e a não renovação do estado de emergência, o primeiro-ministro antecipou a 4.ª fase de desconfinamento para o dia 1 de maio, em vez do que estava inicialmente planeado para o dia 3 de maio.


Assim sendo, a partir do dia 1 de maio:

  • Restaurantes e pastelarias passam a funcionar até às 22h30, durante a semana e o fim de semana;
  • Os espetáculos culturais podem acontecer até às 22h30, durante a semana e ao fim de semana;
  • Todas as lojas e centros comerciais estão abertos até às 21h, durante a semana, e até às 19h no fim de semana;
  • As bebidas alcoólicas podem ser vendidas até às 21h;
  • Todas as modalidades desportivas, a atividade desportiva ao ar livre e os ginásios voltam a não ter restrições;
  • Grandes eventos exteriores e interiores – com lotação definida pela Direcção-Geral da Saúde;
  • Aumenta também para 50% a lotação permitida em casamentos e baptizados.
  • Reabertura das fronteiras terrestres;


No entanto, existem concelhos que continuam acima dos 120 casos por 100 mil habitantes e, por isso, não avançam para a próxima fase do desconfinamento.


Entre os que já não tinham avançado para a terceira, os que mantêm ou recuam:

  • Aljezur
  • Resende
  • Carregal do Sal
  • Portimão

Os que se mantêm na terceira fase:

  • Miranda do Douro
  • Paredes
  • Valongo


Em Odemira, existem duas freguesias - São Teotónio e Longueira/ Almograve -, que voltam à primeira fase do desconfinamento, com cerca sanitária. As restantes freguesias avançam para a última fase do desconfinamento.


A decisão do Conselho de Ministros surge no seguimento da não renovação do estado de emergência, anunciado pelo Presidente da República, na segunda-feira. Assim, o país vai passar para estado de calmidade, que vai vigorar a partir do 1 de maio.


Apesar das boas notícias, os cuidados continuam a ser poucos. Nesta fase, continua a respeitar o distanciamento social, utiliza máscara de proteção indiviual e cumpre com a etiqueta respiratória.


  • Partilha:

Top